quinta-feira, 11 de junho de 2015

Odeio descer pro play

Sim.
Odeio mesmo.
Isso não quer dizer que não leve meus filhos.
E existem alguns motivos que eu odeio ir ao parque.

1 - Eu não posso entrar nos brinquedos.

Ah não, não é que queria brincar junto (claro que queria), mas eu não "entro" nos brinquedos, os destruiria né?
Não participo efetivamente da brincadeira. 
Sou mais um técnica do sobe ali, desce aqui, pendura com as duas mãos, vem você é capaz.
Com o Gustavo ainda dá pra entrar no brinquedo, pq ele não anda direito, então tenho que ficar de olho nas mãozinhas rápidas próxima a areia e brinquedos de criança grande.

Por um mundo com parque que as mães possam brincar!

2- Não tem o que fazer

No caso do João Pedro não preciso mais ser a técnica que ensina as brincadeiras, ele se joga na brincadeira, faz amizade, brinca sozinho, inventa histórias, essas coisas.
Não precisa de mim #mimimi
E depois de tirar milhares de fotos para distribuir entre os grupos do whatsapp e postar no instagram: o que mais que eu tenho que fazer?
Se a internet colabora dá pra eu ficar de olho nele e navegar num ou outro site, mas geralmente não colabora...
Já levei livro, aí complica. Pq nem consigo olhar o Jp direito e muito menos concentrar na leitura.
Outro dia deixei ele no parque e fui na academia, de lá eu conseguiria vê-lo. Vcs acham que consegui andar mais que 50 metros na esteira, quase cai.
Resumindo: o ócio me irrita.



3- Tem as outras mães

Tenho uma amiga que fala: não gosto de conhecer gente que não conheço.
E isto entra aqui. 
A minha vizinha da frente é gente boa, mas ela nunca desce nos mesmos momentos que eu. Então teria que fazer amizade com a coxinhada, opa, com as madames, opa duplo twist carpado, com as babás, opa triplo, com as outras vizinhas, que não sei, não tenho paciência.
Ah me desculpe, é uma competição pela habilidade da criança, pela escola que estuda, pelas mil línguas que a criança fala que ou eu durmo, ou eu surto.
E se eu dormir não consigo ficar de olho no JP brincando e se eu surtar perco a guarda das crianças. Alô conselho tutelar!

Mafalda rainha, Sasha princesinha

4- Não gosto de olhar o filho de quem não conheço.

Veja bem, se for o filho da minha vizinha da frente eu olho numa boa, se for o filho das minhas amigas beleza também, da minha prima também. Mas filho das Lulus, não vou olhar não.
Me desculpe.
Eu olho o meu, elas que olhem os delas.
Não vou esquecer que uma vez na piscina, estava de olho no JP, uma veio e deixou a menina na piscina e sumiu. Eu só de olho, dali uns minutos vem outra e deixa mais um. Dou uma olhada e as Lulus estão na outra piscina de costas para as crianças tomando seus bons drinques e eu com um monte de criança pra olhar.
Se uma se afoga? De quem é a responsabilidade? Minha né?
O que eu fiz? 
Catei JP, sequei e passei linda, magra, maravilhosa, com cabelos esvoaçantes #sqn pelas mães.
E elas?
Levantaram para olhar as crianças...



Ir ao parquinho do prédio em horários alternativos e em dupla com o marido, pq ai a gente senta, conversa, namora, conta piada, chora com o saldo do banco...

E com vcs? Deixam as crianças descerem sozinhas? 
O que vcs fazem no banco esperando as crianças?


Beijinhos

Ana Carolina

2 comentários:

  1. Também não curto descer para o play não... Como o Bruno tem 7 anos e um monte de amigos no condominio eles descem sozinhos...

    ResponderExcluir
  2. A minha tem 3 anos e toda vez que desce pro play, nunca quer brincar sozinha. Mas a maioria das crianças do prédio estudam pela manhã e são maiores que ela, então estamos sempre sós. Daí ela quer que eu brinque e eu não posso entrar nos brinquedos. O velho dilema de "a internet não ajuda"... acaba que fico no ócio! Oh tortura!!

    ResponderExcluir

obrigada pelo comentário!