sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Receitas de drinques especiais para grávidas curtirem o verão


Keila Cristiuma, diretora da marca Sempre Materna, selecionou um especial com receitas de drinques saudáveis e sem álcool, elaborados por nutricionistas especialistas em gestantes. “As futuras mamães podem aproveitar o verão em grande estilo. São receitas fáceis e práticas de fazer”, diz a empresária.

Evite:

Antes de começar os preparativos, ressaltamos alguns cuidados que as grávidas precisam ter. Mulheres diabéticas ou acima do peso devem trocar o açúcar por adoçante (Stévia e Sucralose, evitar Sacarina, Ciclamato e Aspartame), além de moderar na adição de leite condensado e groselha. Outra regra importante: apesar de não ter álcool, recomenda-se não tomar mais de uma dose dos drinques ao dia.

Água de coco deve ser evitada por hipertensas e diabéticas, pois contém muito sódio e glicose. Para se ter uma idéia, 100 ml contém aproximadamente 105 mg de sódio.  

Refrigerantes adicionados nas bebidas servem somente para dar leve sabor em datas especiais, não deve ser habitual, já que aumentam a tendência para formação de gases e causam desconforto na região abdominal. O uso do creme de leite e leite condensado também não é recomendado. Deve-se optar pelas versões desnatadas ou lights.

Tome cuidado

O gengibre, desde que com moderação, pode dar um toque especial ao drinque. A planta tem ótimo efeito para evitar ou amenizar sintomas como enjôo e náuseas, que normalmente acontecem no primeiro trimestre da gestação.

Sucos de frutas são excelentes para as futuras mamães e quando combinados com legumes aumentam ainda mais o aporte de vitaminas e minerais, que na gestação é de extrema importância.



Drinques e bebidas para festas

Coquetel de frutas sem álcool
Ingredientes:
1 xícara (chá) de suco de laranja
Suco de 1 limão
1 xícara (chá) de água
1 fatia de abacaxi
1 beterraba
1 colher (sopa) de açúcar
Cerejas à gosto
Modo de Preparo:
Descasque o abacaxi e a beterraba. Misture com os outros ingredientes no liquidificador. Peneire em seguida. Coloque o coquetel em taças. Decore com cereja. Sirva gelado.

Batida de Morango

Ingredientes:
350g de morangos
1/2 lata de leite condensado light
2 xícaras de chá de água mineral gasosa
Gelo picado
Modo de Preparo:
Bata tudo no liquidificador e sirva em seguida.

Mojito sem álcool

Ingredientes (rende 1 copo):
8 folhas de hortelã
 ½ limão
Bastante Gelo
Água com gás ou água citrus
Açúcar a gosto
Modo de Preparo:
Coloque em um copo "long drink" o limão, a hortelã e o açúcar. Macere até extrair o caldo do limão, como para um mojito normal. Acrescente o gelo e coloque a água gaseificada até completar o copo, depois é só mexer com uma colher. A diferença aqui é que em lugar do rum, coloca-se a água com gás ou citrus. Capriche na hortelã e no gelo para refrescar.



Drinque Primavera-Verão

Ingredientes
50 ml de suco de abacaxi
50 ml de suco de maçã
50 ml de suco de caju
25 ml de suco de morango
1 colher de leite condensado light
1 colher de xarope de hortelã
Modo de Preparo:
Bata tudo no liquidificador e sirva em seguida.

Batida Mista

Ingredientes:
1/2 xícara de morangos
1 xícara de suco de maçã
1/2 xícara de leite condensado light
Gelo a gosto
Modo de Preparo
Bata bem todos os ingredientes na coqueteleira, se preferir, bata os morangos no liquidificador. Depois é só adicionar um morango na ponta do copo para garantir um charme bem especial.

Drinque de Melancia 
 
Ingredientes: 
 

1 kg de melancia
2 limões
2 maçãs
500 ml de água com gás
Adoçante ou açúcar a gosto
Modo de Preparo
Liquidifique a melancia e adicione os limões e a maçã picada, coloque açúcar ou adoçante a gosto e cubos de gelo. O ideal é tomar bem gelado.
Batida light de limão 
 
Ingredientes: 

300 ml de suco de limão
1 colher de chá de leite condensado light
3 cubos de gelo
Modo de preparar: 
Bata tudo no liquidificador e sirva com raspas de limão ou hortelã.

Batida energética light

Ingredientes:
 

1 lima da pérsia
200 ml de água
1 colher de chá de beterraba
1 colher de chá de cenoura - gelo a gosto
Modo de preparar:
Bata todos os ingredientes no liquidificador, sirva em um copo com pequenas raspas de gelo e hortelã.

Drink refrescante de laranja 
 
Ingredientes:
 

1 laranja pêra
1 lima da pérsia
200 ml copo de água
Raspas de gelo
Modo de preparar: 
Bata tudo no liquidificador e sirva com raspas de laranja.

Sucos especiais para as férias

Suco Frutas Tropicais

Ingredientes:
Frutas tropicais (Morango, abacaxi e kiwi)
Refrigerante de limão
Modo de preparo:
Amassar todas as frutas em um copo resistente, como se estivesse fazendo uma rosca. Não usar açúcar, pois o refrigerante já é doce. Gelo a gosto.

Suco Maravilha

Ingredientes:
Beterraba crua
1 cenoura crua 
500 ml de suco de laranja (500 ml) 
Açúcar (moderado)
Modo de preparo:
Descasque, lave e pique a beterraba e a cenoura. Bata no liquidificador junto com o suco de Laranja e açúcar. Coe e sirva.

Pina Soft Abacaxi

Ingredientes:
100 ml de suco de abacaxi
30 ml de leite de coco
20 ml de leite condensado light
Soda limonada como complemento
Modo de Preparo:
Bata tudo no liquidificador. Use fatias de abacaxi e groselha para decorar. Sirva em seguida.

Orange Coquetel

Ingredientes:
100 ml suco de laranja
50 ml de suco abacaxi
20 ml guaraná
Modo de Preparo:
Bata tudo no liquidificador. Use fatias de abacaxi e groselha para decorar. Sirva em seguida.

Suco de água de coco/melão/kiwi

Ingredientes:
200 ml de água de coco
1 fatia de melão
1 kiwi
Folhas de hortelã
Modo de Preparo:
Bata tudo no liquidificador e sirva logo em seguida.

Pauta enviada por Assessoria de Imprensa e Comunicação Andrea Feliconio

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Adaptação Escolar - Parte 2

No começo da semana, a Ana Carolina contou como foi a adaptação escolar do João Pedro. Agora é a minha vez de contar como foi a adaptação do Eduardo, que tem a mesma idade do JP e que também trocou de escola este ano.

Dudu entrou na escola aos cinco meses, no fim da minha licença maternidade. Passou pelo berçário, pelo mini-mini, pelo mini-maternal e finalmente pelo Maternal. Tinha um turminha que o acompanhou desde o começo, passou por quase todas as tias, conhecia todo mundo lá. Enfim, era quase uma extensão de casa. Mas por motivos que não vem ao caso, resolvi que era hora de trocá-lo de escola, uma escola que ele pudesse iniciar o fundamental e ir até o nono ano, algo que não poderia ser feito na escolinha que ele estudava.

Pois bem, liguei, pesquisei, entrevistei e escolhi uma escola que me pareceu reunir tudo o que eu estava buscando. Fui preparando a criança com alguns meses de antecedência, dizendo que ele iria mudar pra uma escola maior, cheia de amigos novos, de brinquedos novos e tal. Dudu não ficou muito animado no início, mas aos poucos foi se acostumando à ideia. Chegando próximo ao dia, fomos comprar o uniforme e o material e preparamos tudo pro primeiro dia de aula. Eu estava morrendo de medo dele ficar aos berros, se debater, se recusar a entrar na escola e por isso tirei dois dias de folga para acompanhá-lo nessa adaptação.

Chegamos lá, eu mais nervosa do que ele, deixei o rapazinho com a coordenadora e sentei na secretaria. O moleque nem olhou pra trás, saiu de mãos dadas feliz e saltitante. "Se precisar a gente te liga". "Não quer que eu fique aqui um pouco?". "Não, pode ir, você mora perto, te ligo se ele chorar". Fui pra casa, liguei o notebook e fiquei trabalhando com o celular e o fixo do lado, esperando tocar. Que nada! Três da tarde, horário combinado, fui buscá-lo. Menino saiu de novo feliz e saltitante com um pirulito e um desenho na mão, me abraçou e disse "Adorei minha escola nova!". Alívio, embora #chatiadíssima. Repetimos a mesma coisa no dia seguinte, deixar, ir pra casa, buscar mais cedo. Sucesso. Achei que o moleque ia fazer um escarcéu e no final ele me surpreendeu. 
 
Hoje, um mês após o início das aulas, Dudu já fala nos amigos novos, conta sobre as aulas, as professoras, tudo numa boa. Hoje mostrei duas fotos de amiguinhos da escola antiga e ele não lembrou o nome. Achei que foi um bom sinal. 
 
Venci o bicho papão! Venci na vida!!

Dudu, depois do segundo dia de adaptação. Mãe e filho tranquilos!


Estamos falando essa semana sobre adaptação escolar, pois sabemos que várias mães estão passando por isso nessa volta às aulas. É importante o apoio dos pais, sem neura. No final dá tudo certo!



segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Desabafo: a adaptação escolar.

Vou dividir uma coisa que aconteceu por aqui.

Este ano, mudamos o João Pedro de escola. 
A escola dele era uma maravilhosa, adorava, porém chega um momento que a criança cresce e precisa de ir além do brincar.
Foi aí que conversamos com ele, explicamos, mostramos a escola nova que ia iria estudar neste ano.
Aos 4 anos, achei que seria fácil, afinal ele vai à escola desde os 10/11 meses no período integral e agora seria só meio período, bem pertinho de casa, pertinho da mamãe.
A adaptação foi longa. Chorosa, sofrida. 
Cada dia ele arrumava algo para não ir pra escola. Eu perguntava se alguém brigava com ele, o que ele não gostava e ele dizia que simplesmente não queria ir pra escola.
Imagina meu coração.
Todo dia, o drama começava no banho. Aí era seguido de choro no almoço, na hora de colocar o uniforme, entrar no carro.
O caminho pra escola, exatos 8 minutos - cronometrei, eram terríveis para mim e para ele.
Um chororô, gritos, clamores para não ficar na escola.
Nem preciso dizer do quanto o choro na hora de descer e ficar eram horripilantes?
Ele ficava na escola, e eu ouvia o choro dele me chamando, chamando o pai, a vó, o vô, a dinda, o dindo, a tia... enfim a família toda. 
Na hora de embora ele se despedia das professoras, e contava tudo que acontecia por lá feliz. Sempre quis fazer a lição de casa, arrumar a lancheira. 
Eu entrava todo dia no carro chorando (imagina grávida o tanto que chorava...). Minutos depois já ligava pra saber dele e ele estava brincando. E a coordenadora sempre falando, ele fica bem, passa aqui pra ver ele.
Um dia passei na escola, ele estava lindo sentado fazendo as atividades com os colegas. 
Lembro que foi uma segunda feira isto. Acalmei meu coração.
No dia seguinte, não foi fácil também, porém menos penoso. 
Ao chegar no trabalho, a coordenadora já tinha ligado avisando que o choro já tinha passado.
Na terceira semana de aula, numa quarta feira ele trocou de roupa, almoçou, puxou sua mochila pro carro e entrou falando que ele sabia que a escola era legal. 
Imagine a minha cara.
Desconfiada, nem perguntei muito o pq... chegamos lá, ele desceu do carro, pegou a mochila, entrou pela porta e voltou.
Medooooo
Voltou beijou minha barriga e me beijou.
Falou um tchau Gustavo, tchau mamãe e entrou.
Viram a cena
Então... adicione aí a cara da coordenadora, a minha, a da tia do portão, da professora, a do pessoal da rua (tá mentira)... exatamente meio que uma felicidade misturada ao pânico de tá tudo errado...
Enfim.
Depois deste dia não tivemos mais choro.

Só tenho uma coisa a dizer, não foi fácil. Ouvi de tudo. 
Pensei em tirar da escola - sim pensei.
Fingia q não sofria na frente dele e quando entrava no carro, corria mandar msg pra minha mãe, irmã, pro Fabio, amigas.
Desabafava mesmo. Acho q todos já sabiam a hora do "arrepio" do chorume materno.
Chegava no trabalho e todo mundo já perguntava como tinha sido.

Ainda bem que passou.
Ainda bem que tenho pessoas que me ouviram.
Ainda bem que meu filho está bem.
Ainda bem que não desistimos.

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Mochila: O Inimigo que mora em casa

Resultado de imagem para mochila pesada Muitas vezes ficamos preocupados com problemas externos, mas não paramos pra pensar que às vezes o inimigo para a saúde pode estar dentro de casa. Engana-se quem pensa que trata-se de algum inseto, praga ou vírus. Estamos falando da famosa mochila escolar – aquela que os estudantes carregam para cima e para baixo!

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

A escolha da maternidade - não está sendo fácil...

Estou bem irritada com este tema.
Muito irritada mesmo.

Quando fiquei grávida do JP, foi relativamente fácil, o médico indicou a maternidade em que ele atendia e fim.

Agora, o leque de opções de indicações é enorme. Tenho mais de 10 opções. Facilmente exclui algumas, uma o GO já falou que não atende, então teoricamente sobraram 3.

Fui visitar até agora 2. Saí com a certeza que o "sistema" tá todo errado.
E olha que eu particularmente exijo pouca coisa, penso mais na segurança do meu bebê (uma UTI Neonatal) e na indicação que é um local salubre para o nascimento.

Nestas visitas a maternidade vc é informado de tanta coisa inútil, realmente desnecessária que olha, vontade de perguntar pra pessoa que tá apresentando a maternidade se ela tá vendendo um hotel ou um local onde um bebê irá nascer.

Claro, que se possível quero as melhores acomodações, mas isto realmente não é o mais necessário. E onde está o interesse pela saúde, dos cuidados básicos com o bebê?

Teve em uma das visitas a apresentação do quarto super blaster luxo (não me lembro a denominação correta). Fiquei tão passada, que meu marido perguntou se eu tava bem.
O quarto, segundo a atendente, era excelente para recepcionar os convidados para visitar o bebê, possuia uma sala para receber os convidados, uma máquina de café blablabla, um local para fazer a mesa de recepção e um nicho para colocar as lembrancinhas. Além de ser permitido colocar balões e decoração personalizada por esta sala e pela varanda.
Sei lá vcs, mas eu tô indo parir e vai ter recepção com decoração personalizada? Ah acho que eu to muito errada neste mundo.
Cadê aquele quadrinho que coloca na porta e as lembrancinhas (simples) para oferecer a quem for VISITAR o bebê e a mamãe? Sim visitar e não fazer uma festa na maternidade.

Aí na outra maternidade a atendente me fala que o primeiro banho da criança é dada no vidro do berçário para os convidados assistirem e registrarem aquele momento tão sublime, além de contarmos com wifi em toda maternidade liberada para os convidados.

Quero dizer q a palavra convidado tá me deixando bem chocada.

Meses atrás, fui conhecer uma casa de parto, achei simplesmente fantástico. Simples, bem simples mesmo, sem convidados, sem wifi, sem festa com balão, sem momentos sublimes para os convidados registrarem. Achei bem legal. 
Devido a cesárea anterior, não tenho indicação para parto lá.

Ainda tenho mais uma visita a fazer, mas sinceramente só espero que não seja a venda a hotelaria e sim a estrutura para o recebimento do bebê, independente da via de nascimento.

PS 1: Eu, Ana Carolina, não tenho nada contra de quem faz festa na maternidade, só não entendo a real necessidade.
PS 2: Dois artigos sobre o assunto:
==> Cine Parto: http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2012/09/1161504-cine-parto-vira-festa-de-familia-com-espumante-em-maternidade.shtml
==> Festa na maternidade: http://vejario.abril.com.br/edicao-da-semana/festa-na-maternidade-699200.shtml

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Fotos de grávida: o que NÃO fazer

Se você é mãe, principalmente foi mãe nos últimos oito ou dez anos, se deparou sim, com aquela vontade de tirar as chamadas "fotos de gestante" ou "book de grávida". Eu mesmo era contra até chegar aos oito meses de gravidez, mas no fim das contas acabei sim indo pro estúdio e fazendo as fotos com poses de gosto duvidoso. Eu gosto das minhas fotos, salvo uma ou outra que hoje olho e sinto uma vergonhazinha, não me arrependo de ter feito as fotos não. São de um momento muito especial da minha vida e gosto de olhar pras fotos daquele barrigão imenso em que eu estava minimamente digna. Felizmente eu não inchei, apesar de ter engordado, e fazer as fotos com 37 semanas nem foi um problema grande.

Mas... mas... tem gente que extrapola todos os limites do bom senso e tenta fazer disso algo digamos, conceitual demais. Andei pesquisando alguns ensaios por aí e gostaria de compartilhar com vocês o que na minha opinião não é lá muito legal de se mostrar pra família. Vamos ver? Vem comigo! 

Tô de olho no seu bebê!

Mamãe Polvo

Vou ter meu filho no meio do mato

Mãe Fetiche

Desculpa, não consigo legendar essa foto!

Tô de olho no seu bebê, parte 2

Grávida envergonhada

Tá grávida? Não é só ar!

Pais do Telecat!

Outra que não consigo arrumar legenda

Vai caiiiiiiiiiiir!
Pai com cara de conteúdo. A mãe foi esperta e escondeu o rosto

Gente! Que orgulho de pais assim!

Segura que to chegando!

Smurfete do Rock
Elenco de Cats!

Tá pensando que ser mãe é palhaçada?

Cestaaaaaa!

Gente, não consigo! Esse pneu hahahahahahaha

Era uma foto normal até que... oi?

Gestantes, por favor, não tentem isso em casa!

Mãe menina mulher amante selvagem!

Juventude Transviada

The Walking Mom




 E pra finalizar...


Essa sou eu! Lógico que vou pagar mico né? To aqui pra isso galera

Sério gente! Coração cas mão na barriga - que eu também fiz tá? - tá ultrapassado! O céu é o limite!!

Enfim, você pode não gostar da ideia de tirar essas fotos, eu respeito. Mas se gostar e estiver com vergonha do que vão pensar, se é brega ou cafona, mande passear e faça! A vida é muito curta pra ficar ponderando demais e tosando as próprias vontades só por causa da opinião dos outros. Só que se quiser fazer umas fotos assim, pós modernas, guarda pra você tá? #Ficadica.

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Simple Wishes - bustiê Hands Free


Recebi estes dias em casa o Bustiê Hands Free.
É um bustiê que auxilia na extração do leite com bombinhas.
Vc coloca o bustiê, coloca a bomba de extração de leite e fica com as mãos livres para fazer outras atividades.



Mais informações sobre o produto:

Um bustiê inovador para a extração de leite, criado como resposta às necessidades da mulher moderna em fase de amamentação. Além de auxiliar na produção do leite e reduzir o estresse no momento da extração, proporciona o que as mães mais precisam nesta fase: tempo.

Essencial: só ele permite liberdade de movimentos das mãos, para que mães atarefadas aproveitem os momentos de extração de leite para realizar outras atividades ou simplesmente relaxar.

Versátil e conveniente: fácil de vestir, pode ser utilizado sobre o sutiã de amamentação regular, e sem a necessidade da mãe remover a peça de roupa que está vestindo. Possui regulagem de até 30 cm ao redor do tórax e de 5cm entre os seios, garantindo um ajuste perfeito durante as mudanças do corpo, na fase da amamentação.

Discreto: quatro camadas sobrepostas de tecido proporcionam cobertura para os seios, além de assegurar uma vedação firme para os frascos.

Seguro: reforço com elásticos na parte superior do bustiê, para um ajuste perfeito na pele, evitando qualquer risco do mesmo deslizar durante a extração. Pode ser usado com ou sem as alças incluídas, para suporte adicional.

Funcional: pode ser utilizado com qualquer modelo de bomba de extração, no mercado.


Informações adicionais: http://www.simplewishes.com.br/
Curta a página do Simple Wishes no Facebook: https://www.facebook.com/simplewishesbr

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Paciência, onde compra?!

Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaah as fases das crianças e suas delicias #SQN

Uma coisa é certa, quando vc falar - meu filho não come isso - na hora a criança vai bater uma bacia de tanto comer. Com educação não é diferente! Você toda toda que ela é meiga, fofa e educada e do nada ... vira o demônio da tasmânia!

Aqui a mini pessoa de casa deu de se impor aos berros quando não aos murros! Gente! Aonde aprende? 

Estamos tendo muita conversa, "tempo" pra pensar, usamos o "castigo" de tirar por um tempo algo que ela goste (um dia sem desenho animado, uma saída de carro sem escutar a rádio preferida...), conversar com ela usando a voz de piscopata (tom baixo e sempre o mesmo tom)  mas o que pega de verdade é PACIÊNCIA, aaaaaaaaaaaaaaa a paciência, essa virtude que não se compra!!!!

Paciência nível zen budista na montanha do Imalaia no inverno

Me contem, como vcs lidam com essa fase?
Ajuda eeeeeeeeeeeeu rsrsrs



terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Segunda gravidez, um segundo acerto.

De uma gravidez para outra foram alguns anos e a experiência é diferente. Acredito que isto aconteça com todas as mães de segunda/terceira/quarta gravidez.

Além de saber realmente que 40 semanas demoram muito para passar, que não é preciso ter pressa para quase nada, as reações a pequenas mudanças são diferentes.

Sem saber de nada, na primeira gravidez, imaginava que meu filho podia nascer por conta de um espirro, que as 40 semanas passariam rapidamente, que cada coisa que sentia eram urgentes de um médico, que tudo que eu pudesse comprar para dar conforto, facilitar nossas vidas dali pra frente eram sem imprescindíveis.

Daqui

Na segunda gravidez, o ritmo é outro, as necessidades são outras. 
Um corpo mais cansado, exige mais disposição para passar por este verão mais quente desde mil novecentos e bolinha, porém, mais sensatez nas escolhas, nas decisões, nas compras, ou seja, em tudo.

Isto não é novidade para nenhuma mãe: queremos o melhor para nossos filhos, porém podemos dar o melhor para eles sem exageros, sem sufocar.

O acerto nas escolhas da primeira gravidez se repetem.
O que não muda é o amor que sentimos por este serzinho que cresce dentro da gente.