sábado, 1 de novembro de 2014

A importância da Vitamina C

Origem da vitamina C
Clique na imagem para ver em tamanho original

Nos primeiros anos de vida, uma alimentação equilibrada e fortificada com vitaminas na dose certa é essencial para o crescimento e desenvolvimento das crianças. A fase compreendida entre os 4 e 10 anos de idade representa, do ponto de vista nutricional, um dos momentos mais frágeis, já que deficiências nutricionais podem levar à redução do peso corporal, déficit de crescimento, comprometimento da imunidade e alteração da função do sistema digestivo.

A ingestão de vitamina C pode ser indicada para o período, uma vez que auxilia no bom funcionamento do organismo. O nutriente, também conhecido como ácido ascórbico, não é sintetizado pelo organismo, sendo obtido unicamente por meio de uma alimentação adequada.

A vitamina C é encontrada nas frutas, principalmente as cítricas, como acerola, laranja, limão, mamão, caju, kiwi, goiaba, abacaxi, morango e melão. Em folhas e legumes frescos, como agrião, salsa, alface, repolho, abobrinha, pimentão, tomate, cenoura, couve-flor, brócolis, espinafre, entre outros.

Após ser ingerida, participa de diversas reações bioquímicas vitais para o corpo. Por exemplo, ela ajuda as células a crescer e permanecer sadias, além de ser benéfica para ossos, dentes, gengivas, ligamentos e vasos sanguíneos. Também auxilia o organismo a responder às infecções e ao estresse. O nutriente tem ação antioxidante, combatendo os radicais livres. Ainda estimula a absorção de ferro, ajudando a evitar a anemia, e participa na formação de colágeno, responsável por unir e fortalecer os tecidos.

Crianças e adultos que têm deficiência do nutriente estão mais propensos a sangramentos nas gengivas, má cicatrização das feridas, perda de dentes e dores nas articulações. A carência, conhecida como escorbuto, também pode gerar, em especial nas crianças, perda de apetite, dificuldade em ganhar peso, dificuldades no aprendizado, na concentração e memória e manifestações de insônia e nervosismo; bem como fadiga e depressão em adultos. Além disso, sua falta pode ocasionar a debilidade de alguns tecidos orgânicos, além de lesões na mucosa intestinal e alteração na constituição dos dentes.


Sugestão de pauta enviada por Noticeria

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos o seu comentário!!