quarta-feira, 26 de março de 2014

A criança e a mudança da água para o suquinho de uva


O ano em que me divorciei foi marcado por muitas mudanças na minha vida e também na vida do Dudu. Apesar de na época ele ter pouco mais de dois anos, tentamos fazer com que ele sentisse o mínimo possível a saída do pai dele de casa. Mesmo assim, passamos por alguns momentos mais delicados, birra, muita birra, um pouco de agressividade, problemas com desfralde, guerra na hora de comer, entre outras coisas.

Já no começo do ano passado, ainda na escola antiga, fui conversar com a coordenadora pedagógica que me disse que ele estava com um comportamento bem difícil em sala de aula, não obedecia, não parava quieto, gritava muito, além de também se recusar a desfraldar, como já relatei aqui. Aquilo me deixou triste e inevitavelmente me culpei muito por tudo o que estava acontecendo. Nós dois estávamos passando por meses difíceis, cada uma na sua intensidade e não havia muito o que fazer naquele momento, era uma fase e como tudo na vida, também iria passar.



Bom, às custas de muita conversa e muito carinho, o ano passou e pude acompanhar a transição de bebê pra uma criança. O desfralde finalmente desenrolou e foi muito tranquilo, Eduardo esticou, perdeu os traços de bebê e ganhou traços de mocinho, pernas longas e um vocabulário impressionante para uma criança de três anos. Na escola, a professora veio me contar o quanto ele havia mudado, que estava obediente, concentrado nas atividades, participativo, enfim, outra criança.

Dudu, apesar de sempre ter sido uma criança agitada, é um doce. É muito amoroso e companheiro, tem uma percepção das coisas e uma capacidade interpretativa muito singular. Claro, tem seus momentos de manha como toda criança da sua idade, ainda trava pequenas guerras na hora de experimentar alguma comida nova, mas a evolução é visível a todos que convivem com ele. E faz a mãe coruja aqui derreter de tanto orgulho e amor. Foi uma mudança intensa, mas positiva em todos os sentidos. Mudou mesmo, como se diz por aí, da água para o vinho suquinho de uva. 
Orgânico, claro.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

obrigada pelo comentário!