Em outras praias

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Mamãe também fica dodói!

SEEEEEEEEEEEEEENTA QUE LÁ VEM A HISTÓRIA

Dá pra contar nos dedos as pessoas que sabem que fiquei/estou dodói, nunca gostei de pessoas que ficam de mimimim principalmente no Face. Porém decidi contar aqui pra ajudar, matar o curiosidade mas também pra mim, pra eu exteriorar todo esse processo.

Demorou pra eu entender tudo o que estava/está acontecendo, acho que ainda não caiu a ficha total.

Tudo começou quando em uma consulta de rotina comentei com o médico que eu tinha MUITA diarréia e MUITA hemorragia, ele bem espertinho já pediu o exame mais thanãnã que já fiz - colonoscopia! aff!

Faço o exame jurando que ia aparecer algo tipo hemorroidas ou pólipos...  mas minha surpresa foi o que a atendente disse - sua biopsia fica pronta daqui a 10 dias - oi? como assim? Taca esperar esses dias todos pra resposta, até que chegou o dia, abri na rua mesmo - Retocolite Ulcerativa em Atividades - 

Ai começou a peregrinação, trocentos exames mas um catatau de remédios. Alguns ficaram meus amigos, outros não. 

Nesse processo um dos remédio (Mezalazina) me deu uma alergia, pra fazer parar a hemorragia e "tirar" essa alergia sem tirar esse remédio de uso continuo que ele é o meu médico receitou - corticoide. 

Com a nossa viagem muito perto só ganhei permissão pra viajar quando apresentei um plano de saúde contratado pra lá, uma linha de telefone e um seguro de viagem! Só que de presente ganhei mais uma comprimido de Corticoide (agora eram 2 de 20). Mesmo assim no fim da viagem passei MUITO mal, muito mesmo! Cheguei no Brasil correndo pro consultório e com um médico querendo me internar pra tomar sangue de tão tão ruim. Mas choro aqui, pede ali, promete e promete e ele me deu 48h pra melhorar e mais um comprimido de Corticóide (com isso 3 de 20). 

O corticoide me modificou pra caramba, mudou minha feição, mudou meu rosto, mudou meu corpo, mudou meu dia a dia, mudou meu querer, minha disposição, minha forma de ver o mundo... Me fechei, parei de sair, não quero que as pessoas me veja, elas estranham, não me reconhecem na rua... ai eu deprimo ... só choro. Não está sendo fácil. Ganhei de presente estrias aonde eu não tinha, ganhei queda de cabelo, sensação de quase morte quando sobe uma escada, falta de ar, aumento do batimento cardíaco do nada! Ganhei Sindrome de Cushing e todas as suas características.

Para tirar o Corticóide foram 2 meses, de 1/4 em 1/4 do comprimido (por isso das minhas postagens com as imagens do Botero pra quem viu). Agora estou livre dele, estou esperando meu corpo se livrar dos malefícios, sei que ele me manteve viva, mas a duras penas! Para sua substituição estou com um imunossupressor ( São tipos de medicamentos que inibem a resposta imunologica do nosso organismos, ou seja, evita que aja produção de anticorpos no nosso organismo ) e não sei o que esperar, só espero melhorar rsrsrs

A história é longa mas o tempo que tenho pra melhorar também é! Sem pressa.

Só tenho agradecer a minha mãe pelo apoio e colo todas as vezes que chorei nele por não me reconhecer no espelho, ao Eduardo pela paciência e sempre com um otimismo de dar inveja, pelas amigas Loucas que pelo whats sempre me deram apoio e colo virtual, amo vcs gurias. Obrigada Ana Paula pelos choros juntas e apoio sempre, a Cris por sempre se importar e todos que em oração e recadinhos estão torcendo por mim! MEEEEEEGA obrigada mesmo






3 comentários:

  1. Amiga, tamujunta pro que der e vier! Logo logo vc vai estar boa, linda como sempre e sambando na cara da sociedade.
    Te adoro, conte comigo sempre!

    ResponderExcluir
  2. Adri!!
    Vc sabe q oode contar sempre comigo.!!!
    <3 <3

    ResponderExcluir
  3. Ô, bonita... Fernando Botero é amigo, fez pinturas lindas daquilo que ele mais gostava: fartura! rs...
    Imagino como é difícil passar por isso, já que mães não choram, não adoecem, não trabalham a menos que seja fora de casa, deixando o filho na escola/com a babá/com a avó... Passo agora por um problema grave de obesidade, regada a hipertensão, gordura leve no fígado e uma crise punk de pedras na vesícula. Trabalho no 9° andar mas o 10° também é da empresa, e chego perto da exaustão após subir dois lances de escada, eu mal consigo falar. Mas tenho fé, e longe de ser religiosamente fanática, acredito que tudo vai se resolver. Tenha fé você também, sempre! As coisas ficam mais amenas quando se crê em "algo" superior. E força (não se preocupe, não chegarei ao extremo "força, foco e fé", rsrsrs
    Um grande beijo, cuide-se bem e seja muito feliz!

    ResponderExcluir

Agradecemos o seu comentário!!

Outros Posts

Carregando...