segunda-feira, 17 de junho de 2013

Eu faço tudo e ao mesmo tempo não faço nada, por Karina Martins


Sou mãe dedicada em tempo integral, tenho 24 horas livres do meu dia para me programar e fazer tudo o que é necessário até a chegada do marido a noite, quando estarei de banho tomado, cheirosinha, para que possamos jantar tranquilamente e assistir um filminho antes de dormir! Seria lindo, se fosse verdade, mas, só que não... rsss

Acho que muitas vezes é isso que muitas pessoas e até o maridão (que não me escute) acham que é nosso dia a dia. Que são tudo flores. Tenho uma filha linda, boazinha, uma casa com empregada que vem 2 vezes na semana, quero mais o que né? Mas não é bem assim, quer dizer, não é nada assim.

O dia passa voando quando você tem um bebê em casa. Pois é, um bebê que depende exclusivamente de você para tudo (mamar, comer, brincar, trocar fralda, dormir). Tenho que me virar nos 30 para tentar fazer o mínimo que gostaria de fazer ao longo do dia, e as pendências vão só crescendo.

Acordo junto com a Sophia, que na maioria das vezes me acorda as 7 da manhã, começa a rotina, leite, um pouco de brincadeira enquanto arrumo a casa e com um olho aqui e outro nela e quando vejo... Ai, uma queda! Corre a mãe pra ajudar o bebê e dar carinho. Hora do suco, será que ela vai cochilar essa manhã? Ai meu Deus, me ajude que ela durma pelo menos 1 horinha... Sophia dorme, mãe corre pra arrumar a cama. Será que vou conseguir tomar banho? Hora do almoço da pequena, que entre uma batida de mão na comida, um espirro sem querer com a boca cheia de papinha e meia hora depois, ufa, um bebê alimentado. Deixa tudo na cozinha e corre para a casa da vovó.  Será que a mamãe aqui conseguirá ir malhar? Vamos primeiro ver as pendências do Blog, enquanto Sophia brinca um pouco e quer atenção da mãe. Depois corre para a academia (depois de 10 meses tomou vergonha na cara para fazer um exercício e eliminar os 10 quiilos que restaram da gravidez). Uma hora e meia depois já está de volta e pergunta: Sophia dormiu bem? As respostas são variadas, tem dia que sim (ufa, ficará tranquila a noite), às vezes não (chororô a vista). Pega Sophia correndo e bora pra casa. Esquentar jantar, preparar fruta e arrumar a bagunça da cozinha. Hora do banho e lá vem batalha para um banho sem muita molhadeira e bagunça, hora do chororô. Briga com o sono, leitinho, carinho e dormiu! Quando olha o relógio, já são 20:00 e como a mãe está? Com a roupa de academia, descabelada, sem fazer a jantar, cansada, e marido chega...

Cadê aquela mulher linda, perfumada e cheirosa que deveria estar aqui? Pois é, está em algum lugar, menos aqui...

E começam os questionamentos: conseguiu marcar médico? Você está com essas manchinhas vermelhas... Viu o fotógrafo da festa da Sophia? Você pegou minha calça na costureira? Levou meu terno na lavanderia? Ligou para ver o problema... Aí, enfartei!

Então, é exatamente por isso que falo: fiz tudo e ao mesmo tempo não fiz nada!!! Pois é minha amiga, está nessa também? Como pode um dia passar tão rápido e fazermos tantas coisas, e quando termina o dia sentir que não fizemos nada? Já me questionei muito sobre isso, mas hoje estou mais tranquila, deu pra fazer, deu, não deu, quem sabe amanhã?

Não quero um dia de 30 horas, não. Acho que nada mudaria, só aumentariam a ainda mais as atividades. Vamos que vamos que são quase 2 da manhã e amanhã às 7 estarei de pé...  E mais um dia começa!

Boa semana!



Karina Martins há 10 meses é louca pela Sophia e escreve o Vida de Mamãe Moderna


2 comentários:

  1. O dia-a-dia é corrido mesmo, mas não se cobrar tanto já é um ótimo passo para viver melhor!
    beijao
    Lele

    ResponderExcluir
  2. nossa, exatamente eu! a diferença é que ainda tenho uma mais velha, com 6 anos e muitas atividades extras... ufa!

    ResponderExcluir

Agradecemos o seu comentário!!