terça-feira, 28 de maio de 2013

Estacionamento para mães e Contradição



Fui dessas grávidas folgadas, que param na vaga de idoso nos mercados da vida. Já bati boca com um segurança, porque parei na vaga de idoso não sendo portadora de uma carteira de identidade com nascimento anterior a 1950, mas apenas de uma barriga de 38 semanas. Ele alegou que a vaga para gestante ficava no outro corredor e estava ocupada, por isso eu teria que esperar.

Quando grávida, sempre fiz uso das vagas de idoso, esperando o bom-senso e a compreensão dos centros comerciais e dos outros usuários. Exceto por essa mencionada vez, sempre fui recebida de maneira amigável. Talvez por sair do carro com um sorriso estampado no rosto, esfregando o barrigão.

Na última semana, o prefeito de São Paulo sancionou uma lei que obriga shoppings, centros comerciais e supermercados a oferecerem vagas exclusivas a gestantes e mães de criança de até 2 anos.

Fico feliz de saber que, até que enfim, as mães terão mais facilidade na hora de fazer suas comprinhas. Fico triste de saber que isso tenha tido que virar lei para dar certo.

A cordialidade do brasileiro vai de encontro ao nosso "jeitinho". Não demora essas vagas para gestantes abrigarem carros de falsas barrigudas, de homens com muita pressa, de pessoas que não se importam com o outro.

Não haveria necessidade de assento preferencial, fila preferencial, estacionamento preferencial se houvesse mais cordialidade e bom-senso por parte de todos nós. Ou vai dizer que você nunca xingou em pensamento um idoso que passou na sua frente na fila, demorou um bocado, bem naquele dia que você estava morrendo de pressa? Se fosse uma grávida, ou mulher com bebê de colo, você até receberia com um sorriso no gosto.  Mas um idoso tem o dia todo para ficar na fila!

O profeta tem razão: gentileza gera gentileza. Mas nem sempre estamos dispostos a isso. Então que venham as leis para aplacar o mau humor de outrém.

Milene



Um comentário:

  1. Concordo!
    Bom senso é tudo! Não precisariamos de tantas leis se fossemos, todos, agraciados pelo bom senso!
    beijos

    ResponderExcluir

obrigada pelo comentário!