terça-feira, 19 de março de 2013

Quando ser gordo incomoda...




Para algumas mulheres (e arrisco-me a dizer a maioria!) o maior desafio após o parto é eliminar o peso ganho na gravidez.
 
A amamentação, além de ser saudável ao bebê, é uma grande aliada na fase de “recuperação” da mulher.
 
Engordei 14kg durante a gravidez, amamentei minha filha por seis meses. Ela, por conta própria, deixou de mamar. Nesse período, eu consegui emagrecer o que havia engordado na gestação, mas... Algum tempo depois, a ansiedade e o nervosismo foram aliados no meu ganho de peso. Confesso que relaxei muito! Comia errado e descontava toda a minha frustração na comida e em doces.
 
Eu me sentia gorda, mas isto não me incomodava nem um pouco, eu ainda preferia comer!

Com o tempo, o peso foi aumentando e minha saúde entrando em risco. Tentei fazer diversas dietas, sempre abandonadas no meio do caminho. Exercício físico? Só aqueles que envolvia correr atrás da menina que estava fazendo arte!
 
Um dia, fui ao médico e descobri que estava com colesterol alto e há um passo de me tornar uma pessoa diabética. O nervo ciático inflamando constantemente, e, durante meu trabalho como fotógrafa, eu sofria demais quando precisava me abaixar.

Decidi então, que era hora de mudar. Procurei ajuda de uma endocrinologista e comecei meu processo de emagrecimento.
 
Não é fácil abandonar maus hábitos alimentares. Eu era uma pessoa viciada em doces e refrigerantes, comia pizza no final de semana todo. Com muita força de vontade, eu abandonei estes costumes.
 
Conheci a dieta “Dukan”, que consiste basicamente em diminuir o consumo de carboidratos e elevar o de proteínas. Foi a única dieta que eu estou conseguindo seguir a risca. Hoje, eu não como mais açúcar, somente adoçante, não como gordura, fritura e massas, nem tomo refrigerante. Para não dizer que eu não tomo, em um final de semana, eu tomo uma garrafinha de Coca-cola zero. Mesmo assim, quando eu posso evitar, eu evito!
 
Passei a me exercitar. Comecei  com uma caminhada de 20 minutos na esteira (por causa do sobrepeso, eu não conseguia mais do que isto!) e, conforme eu eliminava peso, eu conseguia caminhar mais tempo. Fiz isto todos os dias até conseguir caminhar 40 minutos e andar 25 minutos de bicicleta. Pode não parecer muito, mas eu era uma pessoa completamente sedentária!
 
Ganhei resistência e, com a ajuda de vídeos (e de um vídeo game!), passei a fazer exercícios dentro de casa mesmo. Acordava cedo, enquanto a filha ainda dormia e fazia 20 minutinhos de exercício. Depois que ela ia para a escola, fazia mais 30 minutos.
 
Comecei a me sentir melhor, as roupas começaram a ficar mais largas, até que, um mês depois, tive retorno na endocrinologista. Eu havia eliminado incríveis 8kg! Fiquei muito feliz e muito, muito mais motivada a seguir em frente com a dieta e com os exercícios.
 
Um conselho: Se você se sente mal com o sobrepeso, procure ajuda, vá em frente e faça de tudo para reverter este quadro. Vale a pena. Sim, trata-se de um pouco de sacrifício, mas a única beneficiada disto tudo é você mesma!

Aline

4 comentários:

  1. Olha Aline, eu entendo seu desespero, você pode até ficar chocada, mas é porque eu sofro exatamente o inverso de você. Depois que tive minha filha, emagreci tanto que as pessoas achavam que eu estava ficando anoréxica. Quando fico ansiosa ou com muitas coisas para fazer posso passar horas sem comer e mesmo com fome não consigo me alimentar direito. Posso dizer que sofro muito com isso, meu metabolismo é muito acelerado também e mesmo quando estou me alimentando bem ainda assim parece não ser suficiente e preciso aumentar o número de calorias que consumo no dia para não perder peso descontroladamente. É um horror, posso garantir.


    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  2. Oi Aline. Fui magra até os 20, 22 anos. Magra, gostosa, de parar o quarteirão. Fui engordando, engordando, casei, engordei, emagreci, engravidei, engordei, emagreci, engordei astronomicamente de novo, a vida foi passando e agora o peso finalmente começou a atrapalhar de verdade. Só agora, 30 quilos acima, aos 31 anos. Não consigo mais sentar pra brincar direito com o meu filho. Tudo dói. Há tempos venho lendo e analisando resultados de várias pessoas sobre dietas (muita coisa sobre a dukan) e hoje voltei à academia. 30 minutos de bicicleta, 12 km. Foi o que eu consegui, assim como você no começo. Espero ter forças para continuar até me sentir bem. Beijos e boa sorte pra gente!

    ResponderExcluir
  3. Nossa Aline me vi muito no seu depoimento. Antes de engravidar da Sophia em 2009 eu cheguei a pesar 78kg em 2008... ao fim da gravidez pesava 76kg. Mas depois que ela já estava com 2 anos eu ainda me sentia incomodada com a situação dos 68kg que estava antes da gravidez... Para quem mede 1,60 é sobre-peso. Entrei firme numa reeducação alimentar. Parei com doces, alcool e refri e passei a ferquentar a academia pelo menos 3 vezes na semana.
    Vale a pena, ver que seu corpo está melhor e sua saúde também! bjos e força!

    ResponderExcluir
  4. Estou vivendo este problema. Sempre fui magra e ganhei pouco peso na gravidez, consegui perder tudo só amamentando, mas depois dos 6 meses qdo voltei a trabalhar comecei a ganhar peso e hoje estou com uns 8 kg acima pelo menos. Quero mto emagrecer mas ainda não tomei nenhuma atitude séria pra conseguir... Abraços e parabéns.

    ResponderExcluir

obrigada pelo comentário!