segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Birra, até quando?

Se vc acha que os terrible two é insuportável e não vê a hora que seu filho faça 3 anos, vou te dizer uma coisa, não muda muita coisa...
Não vou dizer que todo dia tem birra aqui em casa, mas o dia que tem, a vontade de dar uma volta e nunca mais voltar aumentam numa proporção inimaginável. E quando a birra é em público?
Minha vontade além de sumir também é de fingir que aquela criança estirada no chão ou chorando igual uma louco não é meu filho.
A Thais Scavassa deu o nome de "ataque do bode" e sempre q o JP se joga no chão lembro deste post dela.
Além de ter muita paciência, o castigo rola aqui em casa quando tais situações acontecem. Castigo funciona? Claro que sim. Mas mudar o foco ajuda também. Conversar após o castigo tem um forte apelo.

Quando vamos sair de casa faço uma lista de coisas que ele não pode fazer e o que pode fazer e isto tem ajudado muito, pq ele mesmo começa a lembrar as regras que basicamente são:

- Não chorar
- Não fazer birra
- Não bater 

Lógico que falha, principalmente na casa das vovós, mas isto não quer dizer que vou desistir. Afinal, ele tem 3 anos e desistir jamais.



Mais dicas sobre acabar com as birras: http://bebe.abril.com.br/materia/como-lidar-com-os-ataques-de-birra.

4 comentários:

  1. Gente essa pose ai é birra?? pensei q fosse um editorial.. como é gato!!!

    rss

    mas falando sério... qd era solteira  sempre falava: - se meu filho fizer isso nossa eu nunca vou deixar, vou colocar limites!

    Mas agora, meu Deus como é dificil, complicado... mas precisa de muita paciência.

    Tenho ignorado o Pedro, nesses momentos!
    Sabado ele teve um ataque no shooping não queria o Pai, Vó nem os Dindos, não quis comer, gritou no restaurante um horror.. ai fui e comprei balinha e gominha e fiz uma troca com ele.. se ficasse quieto eu daria para ele comer é não é q funcionou, sei que não é o ideal nem o mais correto!
    Mas na hora do desespero, todo mundo me falando o que tinha q fazer, q se não controlasse agora no futuro iria ser pior e blá blá blá

    fiquei mal.. e parti para a negociação com toda a calma.

    enfim é foda!

    bjo

    ResponderExcluir
  2. Vê se posso com um bico deste?

    Muito complicado birra em qualquer situação, ás vezes só na troca mesmo, aqui qdo não tem jeito rola uma troca.

    Afinal criança tem dias e dias, e os dias que eles estão atacados só por bala mesmo!

    Beijos,

    Ana Carolina

    ResponderExcluir
  3. Minha filha tem apenas 9 meses e ja faz birra, ta insuportável.

    ResponderExcluir
  4. Não sou mãe, mas fui uma criança muito birrenta a ponto de fazer meus pais buscarem ajuda psicológica... eu não apenas fazia birra de me jogar no chão e começar a berra como tmb pedia socorro desesperadamente para o policial mais próximo quando meus pais me pegavam no colo para ir embora...
    O que ele fizeram?
    Fingiam q eu não era filha deles, passavam reto e ainda fazia o famoso comentário com terceiros "quem será os pais dessa peste?", e sumiam da minha vista... quando eu percebia q eles não estavam mais por lá, me levantava, parava de chorar e ia atrás tentar acha-los (óbvio q eles estavam escondidos me espionando) e, ao invés de bater (por eu fala "vai, bate mais, não é isso q vc gosta de vc" e não derramar uma lágrima se quer) eles diziam coisas q me machucava como "tenho vergonha de vc" "vc é uma menina má" "não queria ser sua mãe" "vc é feia" e assim q eles conseguiram me controlar...
    E sim, isso tudo com 2/3 anos de idade.. com esta mesma idade falava para a professora da pré-escola q eu não queria voltar para casa pq eu apanhava de chicote em casa (nunca tendo apanhado de verdade por causa do meu gênio difícil)!
    A cada historia q minha mãe me conta, tenho medo de um dia ter uma filha igual a mim!

    ResponderExcluir

Agradecemos o seu comentário!!