terça-feira, 29 de maio de 2012

A escolha do meu parto.

Quando eu engravidei a primeira coisa que pensei é, VOU TER UM PC.
Na minha primeira consulta com meu GO já cheguei causando, dizendo que ia pra faca, e que nem a pau o meu filho sairia por onde entrou. Meu GO me deu um sermão, e mandou eu ler, me informar, me acalmar, e esperar.Eu segui o que ele disse, e cai numa comunidade do Orkut. Eu enlouqueci, virei xiita, queria um PN a qualquer custo, lia, lia, lia sobre, e tinha certeza que eu teria um PN.

Quando cheguei as 36 semanas meu GO, o mesmo que me fez estudar sobre partos, me propôs marcar o PC, eu sai da consulta tremendo, surtada. Cheguei em casa, sentei no PC e fui atras de médicos, encaixes, doulas, parteiras, enfim... eu fiquei INSUPORTAVELMENTE cega, não dormia, só chorava e falava sobre parto. EU precisa de um médico que "me assumisse" nas minhas quase 37 semanas, e eu não encontrava.
Cogitei ficar na minha e ter meu filho com plantonista do SUS, lógico que meu marido nunca ia concordar, ele me apoiava, mas a partir dali ele cansou, cansou da minha obsessão. Meu sogro é GO, senhor antigo, do interior, super a favor do PN - numa conversa ele me disse pra eu relaxar, que ele ia acompanhar esse meu final de gravidez e se necessário um PC ele estudaria a indicação para que eu não fosse "enganada".
Toda essa minha loucura me fez mal, não apenas psicologicamente, mas fisicamente.
Eu estava com 36 semanas e temia um PC, estava paranóica, o que aconteceu? Minha pressão subiu. Recebi indicação de repouso, mas a minha mente ñ repousava.
Ao completar 37 semanas eu consegui um encaixe com um médico super a favor do parto humanizado aqui em Curitiba, a consulta foi marcada pro dia seguinte, mas eu passei mal, eu senti medo, eu fiz exames de sangue de emergência e ao leva-los ao meu GO recebi um encaminhamento pra internação. "Pre eclampsia Dina, vamos internar, não podemos arriscar".
Quando contei a minhas "amigas xiitas" fui crucificada: " Vc está sendo enganada", "Vai pro PS do SUS e pede remedinho pra baixar a pressaão", "Pra que PC? Foge desse GO e fica de repouso em casa", "Vc está sendo fraca".
Minha cesárea foi marcada como emergência, foi necessária? Eu não sei.
Mas eu perdi a minha mãe na hora que eu nasci, ela morreu no meu parto, eclampsia.
Quando meu GO disse VAMOS eu não ouvi mais nada, eu segui meu coração, eu esqueci tudo que aprendi naquelas tantas semanas antecedentes... Eu só queria ter meu filho nos meus braços, eu queria te-lo ali comigo, saudável, e amado.
Depois eu me culpei, demorei, mas mudei, aceitei e aprendi a respeitar. A me respeitar pelo que eu passei, a respeitar meus limites, e o meu corpo. Aprendi a respeitar o PC, o PN, enfim, hoje eu apoio todo e qualquer tipo de parto. O importante é a saúde mental e física, o importante é cada pessoa fazer o que acha certo e seguro, o que importa é amar e criar bem seu filho.
A minha escolha? O NOSSO bem, meu e do meu pequeno, foi ai que escolhi um PC, mesmo sempre sonhado com um PN.

Um comentário:

  1. Anna,

    A mulher precisa de tempo para ter dilatação.

    Um trabalho de parto sem indução (sorinho da veia) pode durar mais de 72 horas.

    Porém, atualmente os GO's querem que as mulheres tenham dilatação antes de entrar em trabalho de parto e muitas vezes antes de completar 40 semanas de gestação, quiçá 42!!. Há casos em que isso acontece, eu sou um deles, na segunda gestação, uma semana antes de entrar em trabalho de parto, eu estava com 4 cm de dilatação, mas sou exceção à regra.

    Sou xiita como vocês taxam aqui. Quando engravidei, pesquisei, estudei, participei de grupos de incentivo ao parto.

    Infelizmente a medicina está desacreditando as mulheres de sua capacidade de parir.

    Em breve será lançado o filme "O Renascimento do Parto", muita coisa virá à tona.

    Um abraço a todas.

    ResponderExcluir

obrigada pelo comentário!