segunda-feira, 28 de maio de 2012

Convidada Especial: A Super Mãe e os Pobres Filhos, por Roberta Berrondo

A Roberta, que escreve no Mulher de Trinta e Tantos escreveu esse texto super sincero sobre as super mães!

Ontem conversando com uma amiga vegetariana, me peguei pensando naquelas mães naturebas radicais e no mal que fazem aos seus pobres filhos. Em nome de uma de uma suposta ‘alimentação saudável’ alienam seus filhos da infância para compensar suas neuroses.

E não estou aqui falando de mãe que se preocupa e escolhe o que é melhor para os SEUS filhos, aqui na blogosfera mesmo temos diversos exemplos, como a Beca Brício, A Cris Guimarães  a Chris Ferreira, a Mari Dore, entre tantas outras... Elas são mães conscientes que pesquisaram, fundamentaram suas escolhas e vivem em paz com elas, mas sem neuras ou radicalismos e estas, estou sempre lá, lendo e aprendendo como melhorar a qualidade de vida, alimentação e educação das minhas crias. Estou falando daquelas malucas que ouviram falar, e se apoderaram da vida de seus filhos contrariando a todos: médico, família,nutricionistas, psicólogos, amigos e até o próprio pai, e aos poucos vai minando a alegria de ser criança de seus filhos.

Elas estão sempre de olho: não podem comer nada artificial. Açúcar? Nem pensar. Verduras, legumes e frutas? Só orgânicos... Refrigerantes? É bebida do capeta... Galinha? Só do quintal de casa. Sal? Nem na pipoca... Aliás quem disse que pipoca pode? Suco? Só feito na hora e com frutas orgânicas compradas no feirante de confiança.E você vê a pobre criança ali, no meio de uma festa infantil se sentindo um ET, enquanto seus amigos se lambuzam do melhor brigadeiro da festa, elas se contentam com a cenourinha orgânica que a mamãe trouxe na bolsinha... Mas a mãe? Ah, a mãe. Tá ali empoderada. Garantindo sua superioridade às custas da exclusão de sua cria...

E os médicos? Ah! Estes são todos espiões da KGB contratados para eliminar criancinhas indefesas, com suas vacinas e remédios... Quem sabe tudo é ela, a supermãe! E que os pequenos fiquem expostos, ao Sarampo, a Meningite, a Tuberculose, ao Tétano, à pólio e a tantas outras doenças que poderiam ser facilmente evitadas, com vacinas descobertas, testadas e re-testadas à décadas!!!! Afinal SEU leite é o suficiente! Então tá... Só deixa eu te contar uma coisinha, estas doenças MATAM e se ainda não foram erradicas do país, em muito, é por atitudes como a sua, e sim sua atitude burra e egoísta interfere na saúde dos MEUS FILHOS. Suas tetas são o suficiente, a única vacina em que acreditam. E remédios então? Invencionices de laboratórios para arrancar dinheiro de pais incautos... A alimentação saudável e mirabolante que ela criou é o suficiente para curar qualquer doença, afinal no tempo da tataravó era assim... Pois é, só esqueceram de pesquisar o índice de mortalidade infantil da época da tataravó. Olha só, eu até acho um exagero o tanto de vacinas obrigatórias no país. Acho que algumas são pouco testadas antes de entrar em uso, e mudei completamente o calendário de vacinação dos meus filhos, mas fiz isto de forma consciente, orientada e apoiada por médicos capazes, comprometidos e super competentes, e sem colocar a saude do filho de ninguém em risco, bem do jeitinho que descrevi ali no 2º paragrafo. E não acreditando apenas nos super poderes das minhas tetas.

Estas também, são o mesmo tipo que quando se separam, sim porque vamos combinar, poucos homens tem saco para aturar a neurose e as teorias conspiratórias das super mães, faz questão de excluir o pai e a família paterna da vida dos seus filhos. Claro, como são parte de suas entranhas, filhos são suas PROPRIEDADES, o pai? Ah ele é um mero doador de esperma... e nenhum direito de influir na vida daqueles que também são seus filhos....quando ela casar com outro, os filhos ganham um novo pai, uma nova avó... quiça até consigam mudar a genética deles para serem biologicamente compatível com o novo marido.

E você olha para ela, ela está ali... No alto dos seus super poderes e super saberes, PODEROSA, realmente crendo que é o exemplo de maternidade...Enquanto as suas crias seguem a própria sorte, sendo alvo da piada dos colegas, dos vírus e bactérias que rondam o planeta, tendo seus laços afetivos desfeitos e refeitos ao sabor do humor de sua super mãe, e o mais grave alienados da própria mãe, que incapaz de lidar com a própria vida decidiu dificultar a vida dos seus pobres filhos... Talvez seja por isto que a cada dia mais vemos adultos buscando em outros a figura materna que na verdade sempre lhes foi negada. E aí o marido, a sogra, a amiga, a vizinha e até o periquito amarelo vira 'mãe' do pobre filho adulto da supermãe que nunca será capaz de crescer.

Obrigada por ceder seu texto Roberta, nós do LM batemos palmas em pé pra ele!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos o seu comentário!!