segunda-feira, 16 de abril de 2012

RN x Família

Passamos por tudo na gestação, sentimos tudo, as dores, os enjoos e os incômodos, sem contar os episódios de azias e chutes. Passamos pelo trabalho de parto e quando trazemos o pacotinho pra casa tem um monte de pessoas que você nem tem afinidade encostar aqueles cabelos sujos e aqueles rostos suados e oleosos em nosso pequeno bebê. Sim, nós mães (mães sensatas) sabemos o que você sente. Sabemos que você faz o melhor e que vai existir sempre alguém que acha que pode fazer melhor do que você.

Eu me sentia assim. Ficava doida com a minha mãe encostando o cabelo no rosto do meu pequenino e quando ele chorava por um longo período me sentia a mais fracassada das mães quando alguém o pegava no colo e o fazia parar de chorar. Você se sente assim? Então, eu ainda me sinto sabia? Não me esqueço da cena da minha vizinha o pegando no colo em meio a uma crise minha e o fazendo parar de chorar mostrando que ela sabia fazer e eu não! Até hoje me lembro disso!

As pessoas não fazem isso por mal, acredite. Sua sogra, tia, cunhada, amiga... jamais vão se levantar na sua frente para fazer o bebê parar de chorar só pelo capricho de te ver irritada. Certamente fazem para te ajudar e não percebem sabia? É claro que algumas pessoas são mais antenadas e não fariam isso com você mas o fato é que 99% das pessoas não tem "semancol" e você vai ter que enfrentar esta fase com alegria e um sorrisinho no rosto.

Pense que quando alguém vai fazer no seu lugar alguma coisa você ganhou um tempinho para descansar. Acredite, seu filho jamais cobrará isso de você e sabe porque? Você se lembra de como era sua vida de recém-nascida? Então, seu filho também não irá se lembrar! Acredite!

E não se preocupe, mãe de recém nascido nada mais é do que um ser a disposição da pequena criatura faminta, fazedora de cocô e pronta para sentir cólicas e te deixar preocupada sem sequer olhar nos seus olhos e lhe dar um sorrisinho como agradecimento! Mas isso vai passar, o importante é sempre desabafar com alguém de confiança quando se sentir assim e nunca ficar remoendo aquilo que não gosta, você tem o direito de escolher o que é bom ou não para seu filho e as pessoas terão que respeitá-la. Mas tente levar as coisas a menos ferro e fogo, não se preocupe, é preciso cautela mas também não se pode privar o bebê do contato com outras pessoas, assim poderão desenvolver as defesas em seu organismo.

Eu passei por vários momentos de histeria, raiva, nervoso enquanto meu marido ficava sentado sem nem se importar com estas coisas, acho que porque estas coisas são obrigações de mãe sabe? Ou somente ele ache que é isso, não sei! As pessoas até hoje me olham com ar de reprovação quando digo que existe rotina, que ele não toma refrigerante, que ele tem horários pra comer e etc e quer saber? Não tô nem me lixando com isso, porque quando eu era filha eu obedecia aos outros, agora que sou mãe quem manda sou eu! Rá!

Tente ser mais flexivel, aproveite pra descansar, isso não quer dizer que não ame seu filho viu? Você vai enfrentar muitas vezes gente que acha que sabe mais do que voce, faça com que estes conselhos entrem por um ouvido e saiam pelo outro. Se voce achar que seu filho está correndo perigo ou se você estiver se sentindo insegura aí fale, fale pra pessoa que voce não fica confortavel com a situação, explique que você não gostaria que pegassem tanto no colo, que é preciso respeitar os horários, a rotina e o que você estabelece como correto. Diga que as pessoas devem respeitar quando ele está no berço, que não é hora de mexer no bebê quando ele está quietinho. Desta forma as coisas devem fluir de forma mais tranquila e você verá que mesmo com todo esse tato e essa cautela as pessoas ainda vão continuar falando de você, continuar se metendo mas isso não vai mais te afetar.

Img_5813+copia_large


E não se preocupe, eu achava que meu pequeno quando RN era ingrato (risos), eu chorava porque eu era uma máquina de dar de mamar e trocar fralda, que eu não servia pra nada, nem pra fazer parar de chorar porque qualquer pessoa saberia fazer, menos eu. O fato é que nestas situações quanto mais nervosa e mais ansiosa você fica menos o bebê se acalma e é por esse motivo que outra pessoa consegue ter êxito e você não. Não é porque você não é capaz mas o bebê te conhece, sabe quando você está nervosa, passou pelo menos 40 semanas ouvindo suas batidas do coração, sua respiração, sabe quando você está bem e quando não está, tanto é que muitas vezes só o aconchego do colo da mãe pode fazer milagres mas se você estiver nervosa, irritada ou ansiosa o bebê vai perceber e ele não irá se acalmar suficientemente para parar de chorar.

O choro é a forma como a criança se comunica, é assim que ela diz o que sente, se tem frio ou calor, se tem fome, se não gostou de uma brincadeira. A gente acha que é só porque dói que eles choram e não é, com o tempo você aprenderá a identificar os tipos de choro e verá que para cada situação o bebê chora de forma diferente, ou seja, se comunica.

Portanto, mantenha a calma, a serenidade e quando não estiver conseguindo fazer algo permita que outras pessoas façam por você, isso não faz de você uma mãe incapaz mas sim uma mãe que se respeita e que zela por seu filho.

9 comentários:

  1. Que post mais gostoso de se ler!! Que carinho!! Bjssssss

    ResponderExcluir
  2. Resumindo: Keep calm and Rivotril! hahahaha

    ResponderExcluir
  3. Falou tudo...é bem por ai mesmo viu
    Eu também cheguei a achar que a Lara era ingrata porque era só minha mãe chegar e resolvia tudo, hoje consigo entender isso e no segundo filho já foi mais tranquilo, eu adora quando chegava alguém para me ajudar kkkk

    ResponderExcluir
  4. SAbe que tudo isso aí faz muito sentido na teoria, mas pelo menos pra mim, na hora do vamos ver eu fico descontrolada, querendo meter uma paulada na cabeça de qualquer um que "queira ajudar". Na minha cabeça doentia de mãe, a maioria das pessoas só queriam me desafiar mesmo, principalmente se fosse aquele ser peçonhento rastejante, kkkk (e acho que naquele caso era mesmo).

    Beijos!!

    ResponderExcluir
  5. Eu quase fui grosseira algumas vezes. As pessoas não entendem que você tem um plano, que tem vontades, que sabe o que tá fazendo. Mas passada a tensão vc pode engolir o orguho tb e pedir ajuda e ensinar o que tá fazendo pros outros e eles ajudarem no processo de educação pra vc dormir um pouco hehehe... pelo menos foi assim aqui em casa. Pq afinal de contas, a vovó quer ficar c o netinho tb, então vc coloca as condições pra q isso aconteça e tal... e elas acabam entrando no esquema... hahahahaha

    ResponderExcluir
  6. huahuahuahauhauhauha Qd tem RN num da pq ta amamentando, tem q se entupir de calman q eh natural... hhuahuahuahauhauhau

    ResponderExcluir
  7. Keka keka keka!
    Amei três dias seguidos!
    As situações q vc descreveu senti cada uma delas.
    Meu pai fumava qdo o JP nasceu, ele chegava do trabalho tomava banho e ia pegá-lo até ae tudo bem. E depois q ele fumava e voltava para pegar ele? Podia até lavar a mão, mas e o cheiro? Sério... nunca falei nada para ele, mas surtava só de pensar q isso ia se repetir.
    Fora tantas outras neuroses, dores e dissabores que passei com a dita da dpp... q deixa pra lá!!!
    Amei Keka!
    Beijos,
    Ana Carolina

    ResponderExcluir
  8. Clap, clap, clap amiga!! AMEI!!!!

    Mas, devo dizer que de vez em qdo tenho vontade de dar ALOKA e rodar a baiana!! kkkkk 

    ResponderExcluir

obrigada pelo comentário!