sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Me desculpe, eu não sou você

Me desculpe, mas eu não sou a mãe que você vai ser um dia. Quando não temos filhos a vida é muito mais triste, porém extremamente mais fácil.

Desculpe, mas você ainda não conhece o amor incondicional, então não sabe do que sou capaz para protegê-lo.

Julgar é fácil, ensinar teoricamente também. Difícil é acertar a dose, abrir mão daquilo que sempre sonhamos pelo bem estar de quem mais amamos. Quando eu não era mãe sempre falava besteiras, sempre julgava, sempre creditava em tudo o que eu lia. Eu achava que era fácil, que tudo tinha uma técnica ou um roteiro.

Desculpe, mas não fale mais nada. Um dia talvez você vai me entender, ou sentir um pouco do que eu sinto.
Pode ser que você não pense como eu penso hoje, mas vai entender muito do que faço.
Se não entender, aceite, ou apenas respeite...

Um dia você vai entender a minha urgência em ter o meu filho comigo, afinal, dois anos se passaram num piscar de olhos, logo serão 5, 10, 20...
Você vai entender por que eu fiz cara feia quando você me desautorizou na frente dele.
Você vai entender por que arrisquei meu emprego pra ficar com ele no dia em que ele estava muito doente.
Você nunca mais vai me julgar por eu desmarcar aquele jantar com minhas amigas só por que estou com saudades de ficar com meu filho.
Você nunca mais julgar a minha preguiça em ir para a academia, e entenderá a minha necessidade de ficar ali, agarradinha com o meu filho.
Um dia, você vai me entender, sentir falta de apoio, mas ter toda força do mundo ali, bem embaixo do seu nariz!

Desculpe, mas eu tenho esperanças de ser uma mãe melhor do que você foi.
Desculpe, mas você já criou seu filho, então não queira interferir na criação do meu.
Desculpe, a mãe sou eu.

Um dia o meu filho vai crescer e você vai admira-lo pelo que ele é, e ele será algo graças a mim.
Um dia você vai entender por que eu briguei quando você "estragou" o nosso sábado de sol.
Um dia você vai entender por que fiz cara feia e me magoei.
Um dia você vai saber o por quê eu não quis fazer aquele passeio.
Um dia você vai enxergar resultado em todos os meus atos.

Você teve a sua chance, se errou ou acertou você quem sabe, mas vc fez!
Você amou incondicionalmente, mudou a sua vida, então deixe me sentir isso tudo em paz.
Você se orgulha pelo que fez pelo seu filho, deixe eu me orgulhar pelos meu atos.

Desculpe, mas eu não penso como você.
Desculpe, mas eu sou assim.
Desculpe, mas o meu filho não é o seu.

Não é por que você deixou seu filho com a avó 16hrs todos os dias para se profissionalizar que você e melhor do que eu.
Não é por que você deixa seu filho brincar na vizinha todos os sábados de manhã para poder dormir que você tem amor próprio.
Não é por que você não presenciou os primeiros passos dele que você vai garantir um futuro melhor pro seu do que eu pro meu.
Não é por que você fez aquela viagem de lua-de-mel quando ele tinha 6 meses, o deixando com a babá, que você "ainda tem uma vida".

Um dia você vai sentir falta de tudo isso, ou quem sabe um dia ele vai sentir.
Eu sinto falta da presença dos meus pais na minha infância... a presença que eu não tive.

Você acredita que o que você faz/fez é o melhor, e pode ser que realmente seja... pra vocês. Mas não pra mim, afinal eu já disse: Não somos iguais.

Eu aprendi a gostar de certas pessoas somente pela atenção que elas dão ao meu filho.
Eu passei a não suportar pessoas que se metem na minha maneira de ama-lo e cria-lo.

Eu não me importo se perdi dinheiro, se perdi tempo, se perdi amigos. Eu não me importo com nada além de ver e fazer o meu filho feliz.
Educa-lo, ensina-lo, ama-lo.

Amar, amar, amar...
Só assim.

Então um dia você terá filhos, e pode ser que você me entenda.
Pode ser que você faça tudo diferente.
Mas entenda, você deve criar os seus filhos, e dar as outras mães a oportunidade de criar quem elas geraram.

Hoje eu não sou mais quem eu era há 2 anos atrás.
Hoje eu sou amor, sou esperança, sou otimismo.

12 comentários:

  1. Lindo! É exatamente assim que as mães de verdade se sentem né?
    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Simplemente lindo ....exatamente o meu sentimento ....bjs!

    ResponderExcluir
  3. Pois é Ana, esse foi meu desabafa para algumas amigas, tias, mãe, sogra, enfim... 

    ResponderExcluir
  4. Adorei o texto e acho que muita gente deveria ler! parabéns

    Beijos Fran
    http://vireimamaeeagora.blogspot.com/ 

    ResponderExcluir
  5. Tenho que te parabenizar pelas palavras colocadas de forma tão bela.... Expor os sentimentos de maneira tão sutil e tão real!!
    Sinto-me assim também!! Obrigada pela honestidade.

    ResponderExcluir
  6. Tem tanta gente que devia ler esse texto! 

    Eu só não sei seu eu pediria desculpas por criar a minha filha do meu jeito, porque né? A filha é minha! haha
    Adorei Dina!
    Beijo

    ResponderExcluir
  7. O desculpe é ironia. Ah, vc entendeu!
    rsrs

    ResponderExcluir
  8. Ai pode mandar para galera?
    O filho é meu, eu crio da melhor forma possível..
    Posso errar? Sim, mas tenho certeza que vou tentar melhorar sempre.
    Beijos,
    Ana Carolina

    ResponderExcluir
  9. Amei o post... tenho vontade de dizer isso sempre e são poucas pessoas que compreendem.....passo as vezes por chata kkkk!!!! Amo o loucura materna exatamente por isso, compartilhar opiniões sem julgamentos e o melhor de tudo com muito respeito! Afinal todo mundo tem seu papel na criação das crianças..Muito  Obrigada :)

    ResponderExcluir

obrigada pelo comentário!