quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

A Geração X (de "Xilique")




Take One: Criança brincando amorosamente no sofá da sala com sua mãe, fazendo gracinhas, dando beijinhos, rindo... muito amor no coração.

Quarenta segundos depois...

Take Two: Mesma criança se debatendo no chão da sala, gritando, incontrolável, em um acesso de fúria sem nenhum motivo aparente.



Reconhece a cena? Eu também! A criança das duas cenas pode ser meu filho, seu filho, o filho da sua amiga, sua sobrinha... enfim... qualquer criança entre um ano e meio e três anos.

Sério. Nunca vi uma geração tão chiliquenta quanto a geração desses nossos bebês (digo nossos porque o meu tá mais do que incluído na categoria Chilique Master Plus 2012 - e o ano mal começou!). Todo mundo que convive com a gente sabe o quanto Dudu é agitado e inquieto, mas nunca, nunca foi birrento e chiliquento, por mais que ele chorasse por algum motivo, o choro passava em segundos e maravilha. E agora qualquer motivo é suficiente pra berrar, se debater, se jogar no chão. É de matar.

Não tenho paciência pra chilique, juro. Minha vontade é de pegar pela orelha (principalmente se for num lugar público) e sair arrastando. E é óbvio que o cuspe caiu grandão na testa, sempre que via um chiliquentinho na rua eu já pensava "Imagina que isso vai acontecer comigo!". PAM! Aconteceu ontem. E antes de ontem. E no dia anterior e provavelmente vai acontecer hoje e amanhã também.

Tenho muita dificuldade pra lidar com esses acessos, talvez porque também eu não seja das pessoas mais calmas desse mundo. Difícil não explodir, não gritar e porque não, não dar meu chilique também. Sei que é uma fase e que isso passa, mas caramba, não to sabendo lidar com isso não. Vejo minhas amigas todas reclamando da mesma coisa (nossos filhos todos tem a mesma idade). Que é isso, minha gente? Revolução mirim? Inconsciente coletivo?

Já implantei o cantinho da disciplina (oi Jojo, muah!) .
Já olhei nos olhos calmamente e disse que não pode.
Já berrei "Se você fizer isso de novo eu te arrebento pego!". (Em tempo: é só maneira de falar, eu não sou a favor de bater)
Já fingi que não vi pra ver se passava.
Já dei uma de louca e berrei mais alto que o meliante.

(Consistência e pedagogia, a gente vê por aqui)

Nada adiantou. N-A-D-A. O que fazer com esse Gremlin constantemente molhado?

Minha última idéia foi filmar os ataques do Bode e deixar guardadinho. E então usar numa ocasião bem oportuna, tipo, formatura da faculdade ou retrospectiva do casamento. Não vai aliviar minha dor, mas pelo menos vou trazer um pouco de justiça no mundo materno (Risada Maligna).

E vocês? Como lidam com isso? Foi fácil, difícil? Tem um dica? Bota aí nos comentários.

32 comentários:

  1. Aqui... imagina!
    Eu hj uso o método, "não to vendo", e rezo amiga, rezo pra Deus proteger... que meu filho não se quebre...

    ResponderExcluir
  2. Tem que pedir pra Deus manter a nossa sanidade mental!

    Em 18 de janeiro de 2012 08:35, Disqus
    <>escreveu:

    ResponderExcluir
  3. Ai mana, não sei nem como te ajudar!

    Sofia na idade do Dudu não dava xiliques, mas é como vc falou, vai da criança ser agitada mesmo, querer as coisas pra ontem, acho que ignorar é meio que o caminho, além de muita conversa tbém!
    Agora hj em dia é que são elas aqui em casa, Sofia deu pra querer começar a responder, falar alto, exigir as coisas que ela quer pra imediatamente, daí a gente conversa, explica, qdo o negócio se repete vai pro castigo...rs

    ResponderExcluir
  4. Olha, a Isa nunca deu xiliques mas o Tatinho.... to pagando em dobro.
    Quem olha nem pensa ne? Mas tem momentos que eu penso: cadê meu filho??? hahaha
    na maioria das vezes eu ignoro e saio andando. se é birra por birra eu deixo ele lá (deus é pai e nunca fez em local público - até porque o shopping que frequentamos é o meu quintal - HAHAHAHHAHA - zoeira, só em casa mesmo), mas se a birra envolve a Isa eu vou lá e mostro que o que fez está errado e tal, bronca, castigo etc.
    No mais, mentalizo meu mantra e sigo em frente: É fase e passa! 
    bjao

    ResponderExcluir
  5. Olha Maria Clara e a rainha dos píti agora com 8 anos ela não faz mais escândalo em publico mas tem um humor que to com medo da TPM !!!Uso o castigo mas confesso q já dei minhas palmadas!!

    ResponderExcluir
  6. Gostei da idéia do video...rs
    Menina tem hora que realmente a gente fica sem saber como agir, ainda mais se for em local publico, com aquele povo te olhando e querendo como se nunca tivesse visto e se vc fosse a pior mãe do mundo, esses dias aconteceu isso comigo.Tb já tentei de tudo que está nessa sua listinha, tem hora que funciona tem hora que não.
    E vamos lá nessa dura e dificil tarefa de manter o equilibrio...

    ResponderExcluir
  7. ...rs...me desculpe...adorei o bom humor do texto!
    Mas voltemos ao assunto chilique...lá em casa rola muito também...e posso garantir que eu também achava horrível e que era culpa dos pais esses chiliquinhos de crianças...menina...caiu um cuspe bem grandão na minha pequena testa...Sofia dá chilique e eu fico muuito nervosa com isso, mas já fui orientada a ignorar, ás vezes dá certo...em outras quase choro e me jogo no chão junto com ela...difícil né...

    ResponderExcluir
  8. Só até 3 anos? Não se engane, amiga! Laura completou 4 semana passada e é mestre na arte do xilique, Grita, chora, de preferência em lugares amplos, bem povoados e se tiver eco, então, ela arrasa! Se descobrir o remédio, avisa aí.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Então...enquanto eu lia o post 2 "xiliques" da Helena aconteceram :/ Tb tô tão cansada disso!!! De tdas as tecnicas que vc falou só não usei o cantinho da disciplina, ainda, e a da filmagem muito me interessou...hahaha.
    Helena, 2 anos, dá xilique e a outra de 14 tb e aí como fica? Se eu pirar vcs já sabem o motivo, né?!

    ResponderExcluir
  10. Aqui estamos no mesmo barco....
    Ora super lindo ora super chatinho...rsrs
    Mas ainda opto pelo cantinho do pensamento e ele vai, chorando e sem teimar (é até engraçado).
    Pede desculpa, faz de novo e pensa de novo....rsrs
    E vamos seguindo...
    Bjus, Genis 

    ResponderExcluir
  11. Kkkkkkk!!! Ri muito. Eu tenho uma "xiliquenta" aqui em casa. E também tem hora que eu quero sumir da face da terra de tanto que ela grita e chora sem motivo nenhum e é exatamente assim como vc falou, tá rindo e trinta segundos depois parece que o mundo vai acabar em grito! Tamo no mesmo barco amiga. Ótimo texto, parabéns.

    ResponderExcluir
  12. Bom aqui o que funciona normalmente qdo tem chilique é falar oque ele quer, tipo se eu sei que o chilique é pq ele quer subir na TV eu me coloco no mesmo nível do meliante e digo: vc quer subir na Tv? Isso interrompe o mecanismo. Ele para pra concordar. Aí vem a parte dois: não pode, seguido de uma explicação rápida sobre o tema (vai quebrar e vc nunca mais vai ver o Hi-5, vc vai se machucar e vai pro hospital... terrorismo em geral). Na maioria das vezes dá certo. Em outras volta a berrar e repito a cena, mudando ou reforçando o terrorismo. Quando nada dá certo eu pego no colo e levo pra fazer outra coisa, tento tirar do foco. 

    Mas o bom é sabermos que não estamos sozinhas, o chilique é disseminado! 

    ResponderExcluir
  13. olha eu tb dizia isso, ate que vi meu sobrinho jogado no chao do shopping se debatendo (pernas e bracos) pq queria uma bala. foi carregado por mim e pela mae dele. Acho que este episodio me preparou melhor pros chiliques do meu filho. Ainda nao sao tao frequentes , em geral eh pra sentar no carrinho ou sair do banho (q hj resolvi de uma forma facil: liguei o chuveiro frio) mas eh dificil!

    sou super fa do livro do Dr. Karp " the happiest toddler on the block" , ele da muitas dicas otimas, vale a pena ler ASAP ;)

    ResponderExcluir
  14. Ataque do bode, a gente por aqui!!!
    Bem vinda ao clube!
    muahhhh

    ResponderExcluir
  15. Marcela, o dudu tb não tinha chiliques, eu me orgulhava disso. Aí um belo dia ele começou com um, com outro e agora quase todo dia tem um. Aff
    Eu nunca li os livros do Dr. Karp, mas vou tentar! Obrigada pela dica!

    Um beijo!

    ResponderExcluir
  16. Ba, eu adorei a técnica. Vou adotar pra ver se funciona. A parte 1 eu até acho que funciona, mas a parte 2 ele ainda não entende. E a mudança de foco não funciona por aqui, tenho um filho obstinado, c não tem noção!

    Adorei que vc veio aqui! Um beijo!!

    ResponderExcluir
  17. Pelo jeito todo mundo tem um exemplar chiliquento em casa. E achei que as meninas fossem menos chiliquentas, sabe? Mais docinhas... pelo jeito não né?

    O bom é que passa (será?)

    Beijo!

    ResponderExcluir
  18. O cantinho do pensamento é o caos! Aí que o ataque se completa, ele grita, berra, me chama... mas não tem jeito. Sabe que no começo ele até ficava quietinho, mas agora não fica não.

    Que bom que seu filho fica pensando, o meu só fica causando, hahahaha

    Bjs

    ResponderExcluir
  19. Bora fazer os vídeos dos ataques e publicar num blog pra eles morrerem de vergonha!
    Faz um vídeo da mais velha tb, o resultado é imediato, hahahahaha

    ResponderExcluir
  20. Já falei que vc acabou com meus sonhos né? Não preparada pra chilique eterno...
    Ticontá, viu?

    ResponderExcluir
  21. Acho que vou me jogar no chão tb, quem sabe?? Olha, não é fácil não essa nossa vida, por isso que a gente tem lugar cativo no Paraíso né?

    ResponderExcluir
  22. Os ataques em público foram poucos, mas não deixam de ser tão irritantes ou até mais dos que os que ele dá em casa. Vamos na tentativa erro, quem sabe alguém descobre uma fórmula mágica né?

    ResponderExcluir
  23. Aff... esqueci da TPM das meninas. Força aí amiga!! Pelo jeito os chiliques ainda vão durar uns bons anos!!

    ResponderExcluir
  24. Ai esses meninos chiliquentos! Só podiam ser clones mesmo!
    Em casa eu deixo se acabar no chão, mas e em público?? Mór cara de alface... fuén!

    ResponderExcluir
  25. Sorte que Soft não dava chiliques, pq olha, é de perder a cabeça!
    Agora com a chegada da Manu é possível que ela fique um pouco mais chiliquentinha, aconteceu com meu sobrinho qdo o irmão mais novo dele nasceu. Ele era super bonzinho (ainda é), mas acabou ficando um pouco rebelde depois que o irmão chegou. Depois passou!
    Bjs

    ResponderExcluir
  26. Affffff. Pietro com 1 ano e.5 meses me assustade tão nervosinho,q anda. Tbm faz mto escandalo qdo é repreendido em algo. Grita, esperneia deita no chao e etc. As vzs eu finjo nao ser comigo às vezes converso, às vezes pego no colo e tiro (TENTO) tirar do tal foco... depende mto do humor... E vou comentat q tbm não tenho mta paciência não, kkkkk.
    Tudo q nem vc comentou em seu post amiga, me vejo ali...rs.

    ResponderExcluir
  27. o meu tem 4  aninhos começou a fazer birra a pouco tempo chora o tempo todo não era assim desesperador não sei o que fazer.

    ResponderExcluir
  28. A minha filha também faz isto tudo!chego aficar esgotada....ponho de castigo no banheiro,entao ela grita até ficar rouca.Digo que so sai qdo me pedir desculpa.Demora uma meia hora, até ela conseguir parar e se desculpar,dizendo que nao vai voltar a gritar igual maluca!Mas, é muito estressante.Será que nao existe nenhuma psicologia moderna pra nos ajudar?

    ResponderExcluir
  29. alias, ela tem 4 anos...o meu outro filho que tem 15 anos, so melhorou qdo tinha uns 10 anos!será que eu aguento ate la?

    ResponderExcluir
  30. É irmandade? Pq se for, minha filha Isabela de 2 anos e 7 meses faz parte junto com seu filho. Loucura, loucura! Já tentei de tudo, até apelei fingindo que estava chorando de tristeza. Ela pára, titubeia, analisa a cena e volta a berraaaaaaaaaaaaaaaaar! hahah Tô rindo agora, mas na hora dá vontade de chorar de verdade. bjs Camila Vaz

    ResponderExcluir

obrigada pelo comentário!