terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Educando, criando e por aí vai!

Quando temos uma criança em casa é necessário que pai e mãe ajam da mesma forma, para a criança não se confundir com a ordem da casa. Se a mãe diz sim ou não, o pai que concorde na frente da mãe e discutam sobre o assunto em separado longe da criança.

Ás vezes nem é por maldade que tomamos algumas atitudes, nem é por falta de experiência, é por que acontece.

Aqui em casa, eu procuro explicar que não pode, dou bronca daquelas boas, ponho no cantinho para pensar, tiro do cantinho dando um monte de beijo e por aí vai.

Já marido usa outros métodos, que me deixam de cabelo em pé.

Coloca de castigo e fala que o bicho vai pegar!

Ah, se eu já não falei para ele parar com isso? Claro, inúmeras vezes. Tem horas que fica até desagradável o tanto que eu falo. E adianta? Nem tanto, mas já melhorou, o bicho está escondido em algum lugar da casa.

E quando o bicho vinha de madrugada? Quem ia salvar o JP dos pesadelos? Eu aqui né? Colocava o bicho para correr, colocava de castigo o bicho, chamava a mãe do bicho para buscá-lo...

Sabe o que eu ouço? Que para mim é mais fácil, por que sou a mãe, professora, sou psicopedagoga e afins.

Ás vezes penso que tenho que concordar com isso. Mas não! Isso não tem nada com minhas escolhas profissionais ou meu gênero. Tem sim com o modo que eu acho correto de agir.

Me mata de nervoso eu ver uma mãe/pai colocando o filho de castigo no quarto escuro, no banheiro, dando tapa ou surra na criança por mau comportamento.

Olha só, se vc quer que algo bom seja repetido pq repetir o errado? A criança bateu em você, qual a necessidade de você bater de novo? Ela vai achar que fazer isso é normal. E não é. Conversa, segura a mão, mostra que não está certo.

Cada dia que passa, sei que fica mais difícil, mostrar com exemplos nem sempre é fácil. Dá vontade de dar um tapa dá, mas não!

Apanhei demais quando era criança e de verdade não aprendi mais por isto. Não vou julgar minha mãe, mas para mim isso não resolveu em nada.

Meu marido está tentando mudar, e ele vai conseguir eu sei. E eu vou usar minha psicopedagogia da persuasão para mudar esta atitude dele.

2 comentários:

  1. Pois é, ter filhos realmente é uma responsabilidade e tanto e a educação é a parte mais difícil. Muitas vezes pai e mãe pensam de maneiras diferentes e como vocês disse, é preciso que haja um acordo entre eles, que falem a mesma lingua. Muitas vezes é dificil fazer acontecer, mas vamos tentando, uma hora a gente acerta...

    ResponderExcluir
  2. Olha eu espero conseguir ser uma mãe assim! Eu tbm apanhei bastante e não gostava nada nada!!... Acho que a conversa e bons exemplos são as melhores coisas nessas horas, embora tbm sejam as mais difíceis né?!

    Bjs
    Fran
    http://vireimamaeeagora.blogspot.com/ 

    ResponderExcluir

obrigada pelo comentário!