sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

As minhas escolhas

Quando engravidei eu tinha 3 empregos! Sim, tinha acabado de ser contratada em mais um emprego. Ah eu tenho tantos empregos assim pq? Pq eu sou professora, e como minha carga horária é flexível dá pra pegar mais aulas em outros colégios.

Lógico que desisti de um dos colégios e fiquei com os outros dois. Minha gravidez foi bem assistida por dois médicos (tá sou doida!), e tudo correu bem no nascimento do meu lindo.

Em nenhum momento eu pensei na possibilidade de largar o meu trabalho, minha carreira para ficar com meu filho. Não que ele não merecesse. Mas simplesmente pq sei que era o melhor para nós dois. Nunca fui uma exímia dona-de-casa, cozinheira, lavadeira ou passadeira e ficar em casa não era minha realidade. Além do que sempre quis ter meu próprio dinheiro e pagar minhas contas.
 


Quando JP completou os quatros meses voltei a trabalhar. Não foi fácil. Minha mãe adoeceu no dia que voltei a trabalhar. JP ficava maior parte dos dias na minha sogra. A situação da minha mãe foi piorando, e eu deixei um dos trabalhos. Deixei um dos trabalhos e logo em seguida voltei a trabalhar no colégio público.

Minha mãe enfim melhorou, e no fim de julho colocamos JP na escolinha. O fim do ano se arrastou e eu nas duas escolas. Não era meu sonho deixá-lo o dia inteiro na escola, mas foi o que fizemos.

Neste ano, diminui minha carga no colégio público, ficando mais dias em casa. E no meio do ano saí de lá. Porém, eu comecei a fazer um curso em que exige bastante tempo de estudos, mas em casa. Estou nessa, uma escola e o curso que finaliza agora em dezembro. O ano que vem nem sei.

Meu filho foi para escola com 10 meses, mas não acho que perdi fases dele. Participo ativamente de tudo. Ele começou a dar seus primeiros passos na minha frente, largou a chupeta pq eu incentivei, está saindo das fraldas pq faço um trabalho conjunto com a escola. Percebi que ele não gostava de carne e frango em casa e passei para escola. E as palavrinhas que ele fala? Cada uma delas comemoradas aqui em casa! Enfim, eu estou presente.

Estar presente, pra mim, não é estar onipresente. Faço cada minuto ao lado dele o meu melhor.

5 comentários:

  1. Cada um com a sua realidade.
    Também tenho uma parecida.
    Samuel só não está na escolinha porque minha mãe e sogra não deixam. Dizem que é muito pequeno com 1 ano.
    Então estamos esperando um pouco mais e todos estão revezando.
    Com 2 aninhos ele vai. Sei que será melhor.
    Bjks

    ResponderExcluir
  2. Toca aqui!
    Não tenho três empregos, mas é tão desgastante quanto se tivesse.
    Tb acompanho muito de perto todo o desenvolvimento do Dudu, mesmo estando na escolinha.
    São as nossas escolhas e temos que arcar com o ônus e o bônus né?

    ResponderExcluir
  3. Me identifiquei muuuuuuuuuuuito com seu post, querida.
    Bjus.

    ResponderExcluir
  4. Oie,vim conhecer seu Blog,amei e já estou super seguindo,parabêns por esse cantinho lindo!

    Te convido para conhecer meu Blog e se gostar e puder seguir também,será muito bem vinda,sinta-se em casa!

    Ah,tem sorteio rolando por lá,participa? :))

    Beijinhos no core!

    http://umamulherbemvestida.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. verdade Carol, estar presente é participar.. é isso a gente pode fazer trabalhando ou não .. vejo alguns casos de mães que não trabalham, é infelizmente participam, mas não acompanham ! muitas vezes até dificultando o desenvolvimento da criança... enfim as duas escolhas de trabalhar ou não estar certíssimas.. Porque ! não bastar ser mãe, tem que participar...

    bjs adorei o texto.. vc é uma pessoa linda por dentro e por fora !

    ResponderExcluir

obrigada pelo comentário!