quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Minha vida mudou, por Michelle Imílio

Um texto emocionado da Michelle Imílio.
Visite o blog dela: Meu dia a dia de Mãe.




Sabe aquela pessoa que trabalha desde os 16 anos, que foi super independente, que foi obrigada a crescer quando seus pais se separaram aos 15 anos. Que com 19 anos estava saindo de casa e se mudando para outro estado pois tinha recebido uma promoção na empresa em que trabalhava, ajudava a familia, mais também sempre curtiu muito a vida, sem horários sem ninguém para dar satisfação, baladeira de plantão não esquentava a cabeça com nada, e também não mudava de roupa para sai de um lugar se estivesse ruim e ir para outro(q as vezes também estava ruim), nunca se preocupou em guardar dinheiro, sempre foi muito batalhadora não corria de serviço não.

A vida era uma constante festa, a casa sempre cheia de ¨amigos¨, As vezes emendava e saia direto da empresa mesmo para a farra. Namorados? teve poucos, gostava mesmo era de curtir a vida, tinha pavor de ficar dando satisfação.Morou em Contagem-MG voltou para São José dos Campos-Sp, depois foi para BH por outra empresa, morou quase um ano em apart hotel ( a empresa bancava lógico) e com o fechamento da empresa surtou vendeu tudo e vou para SJC- Sp ai não acostumou  morar com a mãe, se sentia um peixe fora d´água e com 4 meses colocou a mochila nas costas e voltou para BH, foi morar com uma amiga em uma semana estava empregada (sempre fez questão de deixar as portas abertas), o namorado que tinha deixado para trás já não sentia tanta firmesa e não voltaram a ter um relacionamento de verdade, mais também não podiam se encontrar que rolava a quimica, eles eram muito parecidos, objetivos,independência, espirito aventureiro e empreendedor, e principalmente eram amigos. E foi assim trabalhava muito, conseguiu alugar um apertamento e já não morava mais com a amiga, estava comprando suas coisas para que aquele lugar tivesse cara de lar.

E num belo dia isso já estava com 30 anos, a menstruação atrasa, conta para uma amiga e lá se vai fazer o exame, e quando recebe o resultado: Gravidissimaaaa!!!! E agora? Era um turbilhão de sentimentos e vamos lá ligar para namorado que não era namorado, o amigo, a pessoa que ela amava muito. Só que naquele 30 de maio de 2008 as 18:00 o mesmo atendeu a ligação do hospital onde estava com o pai internado com câncer na próstata em estado terminal, não recebeu a notícia de maneira agradável e o mundo daquela mulher tão cheia de si, que não gostava de depender de ninguém caiu.... E o dele também pois as 21:00 o pai que ele tanto amava e tinha lutado tanto na luta contra doença, que nessa fase já tomava 3 vezes ao dia injeção de morfina faleceu.


Confesso que sua reação com relação a gravidez não foi das melhores, mais também aquela mulher cheia de orgulho próprio nem quis saber de nada tomou a carapuça, encontrou força onde não tinha e enfrentou a gravidez, fez pré natal, ligou para a familia que recebeu a noticia muito bem (era seu maior medo) comprou enxoval, montou o quartinho, encontrou muitos anjos ao longo do caminho que a ajudaram muito, nunca faltou um dia de trabalho, marcava as consultas sempre antes do expediente, também não sentiu enjoo e nada. Só de noite que tinha muita azia.Não quis saber noticias, não deu noticias agora vivia para sua filha (seu sonho sempre foi ter uma menina) que já chamava pelo nome Lara. Eram noites de conversas com a Lara ainda na barriga, dizendo o quanto ela era amada , o quando ela seria bem vinda....Tomou a carapuça mais não quer dizer que não sofreu não, sofria, chorava,não entendia mais isso tudo era entre ela e Deus! Quando as pessoas vinham com aquele ar de piedade ou até mesmo de especulação subia no salto e respondia que estava tudo bem.E foi assim até que lá pelos 8 meses resolveu atender o telefone, conversou horas com aquela  pessoa que perdeu tudo isso (os primeiros movimentos na minha barriga, o crescimento  daquela coisinha tão fofa que estava sendo gerada, os ultrassons, aquele beicinho no ultrassom, o pezinho, os dedinhos ,a boquinha de coração) foram almoçar um dia, mais tudo muito formal.Sua mãe veio de SP para ajuda-lá, tinha muito apoio da familia e dos amigos. E foi ai que em 23 de janeiro de 2009 começa o trabalho de parto e foi trabalhoso mesmo, 12 horas em maternidade do SUS, no meio de várias mulheres na mesma situação. Um anjo que Deus colocou na vida dela, que hoje é madrinha da Lara , a querida Rose acompanhou todo esse processo foi sua acompanhante e entrou na sala de parto, já que a vovó não aguentou ficar no pré parto, chorava toda hora. E depois de um dia todo de dores, contrações, sofrimento, as 22:50 vem ao mundo a criatura que iria mudar a minha vida, tão linda, tão branquinha(até assustei já que o pai é negro rs)


Passaram a noite juntas ela mamava muito, vovó coruja ficou ficou com elas. E na hora da visita chega o papai com um vaso de flores para conhecer a princesa, sua herdeira. Sabe aquele orgulho, aquela auto confiança?

Foi tudo por terra, conversamos ele apaixonado pela filha ficou um tempão com ela no colo sem falar nada (sabe Deus o que se passava naquela na cabeça naquele momento). Voltaram para casa nessa altura a vovó ja tinha resolvido que ficaria até a Larinha completar um aninho.

A convivência entre os dois? Aos poucos foi virando cumplicidade, amor e namoro. E até hoje é um namoro já que não casamos, ele mora com a mãe, vem para minha casa alguns dias a noite e final de semana quando não trabalha.

Aquela pessoa cheia de orgulho e auto suficiente, que levava a ferro e a fogo oque faziam para ela? Então sou eu ... que por muitas vezes tive que avaliar se a essa altura do campeonato valia a pena tanto orgulho( muitos me criticaram pela minha atitude) mais coloquei na balança, pensei na minha filha e em mim, resolvi nos dar uma chance.

E toda independência, todo conceito que eu tinha antes de ser mãe caiu por terra, lógico que não me tornei uma pessoa sem personalidade e sem vontade própria, mais não faço mais nada por impulso penso no bem estar dos meus filhos, penso com a razão e o coração.

Ainda tenho certas manias e cometo certos erros, sofri muito no começo pois me incomodava o fato de ter que dar satisfação, as vezes para minha que ficava com a Lara para eu sai r e resolver algo,para o Alex , teve até um dia que foi automático sai com a Lara para uma festinha de criança, e não liguei nem avisei ninguém, quando cheguei em casa tinha milhões de ligações , ele já tinha ido em casa. Levei aquela bronca...rs Mais to aprendendo.

Na vida nem sempre se ganha, mais no meu caso sei que muitas vezes perdi, mais com a maternidade eu só tive a ganhar!

Se sinto falta de quando não era mãe? Acho que tudo na minha vida aconteceu no momento e na hora certa.

18 comentários:

  1. Nossa !!! sério mesmo ! .. to chorando.. q linda a sua história.. sua humildade é o seu carácter... amei e me emocionei em cada linha... parabéns! vc é uma guerreira... e eu sou sua fã ...rsss

    bjs amiga  

    ResponderExcluir
  2. Tô com lencinho na mão!
    Força amiga, força!
    Vc é forte e sempre será!
    Beijos,
    Ana Carolina

    ResponderExcluir
  3. Que post lindo Mi. Eu já admirava vc, agora admiro ainda mais.
    Vc merece ser muito feliz!!!

    ResponderExcluir
  4. Muito lindo! Parabéns pela sua força, vc é uma guerreira!

    Muitas alegrias pra vc em 2012! E obrigada por compartilhar essa história tão bonita conosco!

    Grande beijo!

    ResponderExcluir
  5. Nossa, que história linda! Sim, vc é guerreira de enfrentar todo aquele turbilhão de emoções que é o comecinho da gravidez, sozinha!
    Parabéns pelaforça!!
    bjs!

    ResponderExcluir
  6. Putz que história de vida, e só tenho uma coisa a dizer: Guerreiraça!
    Admiração gigante por você!
    Beijoooooooooooooooooooooooooos

    ResponderExcluir
  7. A Maternidade nos dá uma força incomum! 

    Bela história de uma bela mulher forte!

    Beijão.

     

    ResponderExcluir
  8. É emocionante o relato da Michele, já conhecia do blog dela,mas é sempre bom ler e ver tudo o que podemos mudar depois q somos mães...Bjs!!

    ResponderExcluir
  9. Sabe que hoje eu dou risada de tudo que passei?è muito bom poder olhar para trás e ver que nada acontece por acaso.
    Beijo lindona!

    ResponderExcluir
  10. Descobrimos que somos fortes, quando encontramos força de onde não sabiamos que existia para ultrapassar os obstáculos.
    Te adorooo viu

    ResponderExcluir
  11. E como diz você:  xô 2011
    Beijo queridaaaa

    ResponderExcluir
  12. Tem que ter força né, ainda mais quando sabemos que existe um ser que precisa da nossa força!

    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Com certeza a força vem de onde a gente menos imagina!
    bjo bjo

    ResponderExcluir
  14. Já conhecia a história da Michelle, mas é emocionante reler. A maternidade nos amadurece e nos endurece um pouco, já não quebramos à toa, ficamos mais fortes a cada dia.

    ResponderExcluir
  15. Que lindo... estou adorando ler estes relatos...estou me apaixonando pelo site!!

    ResponderExcluir

obrigada pelo comentário!