sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Parto normal. Louca eu?


Escolhi fazer parto normal, isso não me dava a certeza de que conseguiria, afinal com a maioria querendo fazer cesárea, sempre achei que não daria muito certo. Minha medica concordava em fazer normal, achava ótimo e me encorajava, e eu? Ah, eu achava que em qualquer momento ela mudaria de ideia e me daria o golpe final marcando a data. Eu não tinha plano B de fugir pra outro medico, ir pro SUS ou correr para as montanhas, eu estava disposta a aceitar o inevitável.

O mais difícil de tudo não é escolher entre a cesárea ou normal e sim não receber criticas, pasmem mas já ouvi de tudo o que vocês podem imaginar, vou fazer uma breve listinha:

* Seu plano não cobre cesárea?
* Foi pelo SUS?
* Foi em casa?
* Seu marido deixou?
* Que médica é a sua pra eu passar longe?
* Te obrigaram a fazer?
* Ai credo, depois lá fica tudo largo!
* Você vai ficar com a bexiga caída!
* O motivo é religioso?
* Cortaram você lá, ai deve ter uma cicatriz horrível!

Mas essas são as comuns e menos agressivas, quando falo que o Dudu nasceu com o cordão enrolado no pescoço (não falo mais isso pra ninguém), as pessoas ficam horrorizadas e já até me falaram que ele era "lerdinho" por causa disso. Gente, ele é normal e se desenvolve super bem, o povo é que inventa absurdos.

E pra mim a pior de todas vem das pessoas que sabem que meu irmão tem uma deficiência que PODE ter sido causada no parto (normal mal feito) e me perguntavam se eu ia fazer normal mesmo, porque o Dudu poderia ter o mesmo problema que meu irmão.

O que eu quero com esse post é mostrar que assim como as mães que fazem cesárea sofrem preconceito, as mães que fazem normal também sofrem, isso é um absurdo porque nem decidir o tipo de parto nós podemos. Até quando as pessoas vão cuidar da vida dos outros?

Por que não repensamos um pouco tudo isso e cada um cuida da sua vida e da educação dos seus filhos?

Sabe aquela pessoa que não tem filhos e critica todas as mães? Pois é, com o parto é igual, cuidado, você pode pagar a língua.

7 comentários:

  1. Adorei o texto Thais... achava q só quem tinha cesárea é que sofria com palpiteiro!

    ResponderExcluir
  2. Sabe, é o mesmo que eu disse no post sobre a cesariana, temos o direito de escolher e, ter a consciência de que precisamos fazer o melhor pelos nossos filhos. Diferente é se vc faz porque vc acha que é o melhor para você e para o seu filho, pior quando vc faz pra ficar se gabando e dizendo que é mais mãe do que quem fez PC..É bem como vc disse, cuidado, "vc pode pagar a lingua!!"

    ResponderExcluir
  3. Ainda bem que ningiém disse que vc arriscou a vida dele (por causa do cordão) por um capricho...
    Depois do meu parto, eu sempre disse que ainda quero PN. Como tive pré-eclampsia na gestação do Fe, sempre ouço: vao se matar por uma besteira! Argh "Eu vou é matar vc, abobado"kkkkkk

    Mas é isso Thá, parabéns por querer e conseguir, e se Deus qser vc vai conseguir de novo viu!!!

    E eu, ainda vou aguardar... espero ter um PN um dia!
    Beijoooo

    ResponderExcluir
  4. Vc tá certa, optou por isso mas não ficou na paranóia. Aí aconteceu e foi ótimo. Foi seu direito de escolha e pronto. Sem militância, sem xiítismo, sem encheção de saco!!!

    Ai, como somos democráticas!!!!

    ResponderExcluir
  5. Isso mesmo direito de escolhas sem medo de ser feliz e q se danem os intrometidos

    ResponderExcluir
  6. O mundo está cheio de gente que gosta de cuidar da vida alheia!!!
    Que tal se cada um cuidasse da própria vida e respeitasse a escolha do outro?
    Você optou por PN, o que o resto do mundo tem com isso? Era o melhor pra você e pro Dudu!!
    Adorei o texto!

    ResponderExcluir
  7. são tão preocupada por onde a gente vai colocar os nossos filhos no mundo, que curiosidade bizarra é essa?

    crêndios!

    até em parto a gente é criticada, pela escolha, pela opção, pelas circunstâncias.

    não importa qual seja, vc será julgada.

    é uó!

    ResponderExcluir

Agradecemos o seu comentário!!