sexta-feira, 25 de novembro de 2011

O prazer de amamentar...

Felipe com 45 dias.

Quando engravidei nunca havia pensado sobre amamentar, não me imaginava fazendo, não conhecia os beneficios.
Eu li, li muito, decretei: Irei amamentar meu filho até ele completar 2 anos.

Quando eu falava isso a certas pessoas ouvia criticas. Deixei rolar.


Felipe desmamou aos 4 meses e alguns dias.

Eu nunca comentei com ningém o que senti nessa época.

Uma tristeza imensa.

Foi uma fase difícil.
Algo tão frio quando eu via ele mamando em sua mamadeira...

Pessoas que faziam comentários do tipo, LM (leite materno) ou LA (leite artificial) tanto faz. 
Não "tanto fazia" pra mim.
Era pela saúde do meu filho.
Era o nosso momento.
Era o calor do corpo dele envolvido pelo calor dos meus braços.
Era o carinho das suas pequenas mãos, e o amor que transbordava em mim naquele momento.
Era a nossa horinha, dias a cada três horas, outros de hora em hora.
Eu nunca contei no relógio a hora do mama do Felipe, o alimentei em LD (livre demanda) a qualquer resmungo dele, nós dois sabíamos nos comunicar, sabíamos a hora do MAMA.
Eu nunca neguei alimento ao filho, independente da hora, local, ou situação.

Fica a dica pra muitas mamães, leiam, pesquisem os benefícios da livre demanda, esqueçam o relógio, as horas, os minutos.

Quando Felipe ficou resfriado e não quis mais mamar, eu me senti derrotada, envergonhada, eu extraia leite com a bombinha, dava no copinho, nada adiantou, introduzimos o LA como complemento já que ele não queria saber do peito. Simplesmente assim... Felipe desmamou.


Com copo de treinamento, com muito leite no peito.


Eu me senti a pior mãe do mundo, eu que não tive NENHUM problema com a amamentação, não amamentei meu filho. Meu seio não rachou, meu leite não empedrou, eu jorrava leite, Felipe nasceu magrinho, mas engordou graças ao meu leite, eu sabia que a história de leite fraco não existia. Eu era bem informada, eu busquei ajuda, e de nada adiantou. Eu sofri mesmo assim, mesmo sabendo que eu fui atrás, que eu insisti.


Quando saía com ele, as pessoas comentavam o quanto grande ele era, me perguntavam: "Ele mama no peito?". Eu me sentia uma derrotada em dizer que não.

Lendo relatos na GVA  (uma comunidade do orkut, ótima por sinal) vi que muitas mães dão mamadeira para seus filhos dormirem a noite toda, outras por que precisam ir a festas, jantares.

Eu nunca entendi o por que!
Se vai sair de casa, é tão simples, porém não fácil, extrair leite manualmente que seja e congela-lo, manter um pequeno estoque pra possíveis emergências, pra saídas exporadicas. Vale a pena!
Quando me falavam de LA pra ele dormir melhor, eu sempre comparei o LM a um caldinho de feijão, e o LA a feijoada completa, se é que vcs me entendem.
Eu nunca me incomodei em acordar a cada 1hr pra amamenta-lo.
Amamentar pra mim sempre foi prazeroso, dormir amamentando, saber que só eu posso acalmar minha cria quando ele sentia fome, quando estava com sede.
Talvez falte a algumas mães esse sentimento: Prazer, amamentar não é obrigação.


Com o desmame outras coisas nos entristecem, nós perdemos o controle de algumas coisas, já não somos tão necessárias aos nossos filhos.


Com o desmame do meu filho, ele não perdeu nada.

Desmamou aos seus qse 5 meses, iniciou os sólidos no dia 14 de março de 2010, 1 dia antes do seu 5º mêsversário, e ali iniciou uma rotina com alimentação saudável, o que também lhe garantiria uma vida boa!

Eu perdi.

Perdi coisas inexplicáveis.

Que só uma mãe que passa pelo o que eu passei sente.


Hoje eu vejo crianças na idade do meu filho, já crescidos, aninhadas no colo das suas mães, mamando, adormecendo naquele colo confortável, eu sinto inveja, mas nesse mesmo momento eu tenho a certeza que eu fiz o que eu pude!



Beijos Dina

14 comentários:

  1. Que linda história Dina!
    Parabéns!
    Beijos,
    Ana Carolina

    ResponderExcluir
  2. O meu desmamou com 2 meses, não pegava de jeito nenhum o peito.
    De início eu me sentia menos mãe, menos mulher, menos competente... enfim, menos um monte de coisas.Como você, também me sentia mal quando ele tava lá feliz com a mamadeira dele, só que eu chorei uns 2 meses por isso. Com o tempo eu me acostumei com a idéia, mas sei que não superei por completo passado esses 5 anos.
    Meu filho é super saudável, mas eu queria muito ter amamentado mais é algo que ainda me incomoda.

    Ótimo post. Bjs

    ResponderExcluir
  3. Que relato de amor Dina!

    Sofia mamou no peito até 1 ano e 6 meses, e no dia que ela simplismente decidiu que não ¨me queria¨ mais, eu sofri horrores tbém.
    Chorei, me perguntando o que tinha feito de errado, pq ela simplismente do nada parou de querer meu leite.
    Depois conversando com a pediatra dela fui ficando mais calma, e entendendo que aquele era o momento que a Sofia decidiu, q ela escolheu e pronto.
    Não sem sofrimento, mas eu entendi e aceitei.
    Segundinho vem aí, e quero amamentá-lo até onde ele quiser tbém, espero que ao menos até o mesmo tempo que a irmã quis!
    =o)

    Beijoos

    ResponderExcluir
  4. Eu amamentei até eles decidirem q nao queriam mais, na vdd a Mady fui forçada pq estava gravida, e é a coisa que mais amei, amamentar meus filhos e imagino como tudo isso foi pra vc.....
    lindo relato!
    bjuuus

    ResponderExcluir
  5. Certeza que você fez o possível e o impossível, nenhuma mãe faz menos que isso em prol dos filhos!

    E o segundinho tá aí pra vc amamentar até os 18!

    ResponderExcluir
  6. Tive o mesmo problema que o seu Fernanda, o Dudu não queria pegar o peito de jeito nenhum. É desesperador! Eu cheia de leite e ele chorava, berrava, gritava e não mamava. Aí o leite foi secando e acabou. Me culpei muito e chorei por 1 mês inteiro.
    Aí vi que antes de amamentar, o importante é alimentar. E meu filho não me ama menos por isso!

    Um beijO!

    ResponderExcluir
  7. Eu acho que cada um faz o que é melhor pra si... Amamentação é bom para o bebê, tem todas aquelas vantagens que estamos cansadas de saber. Mas ela também tem quer ser boa pra mãe, a mãe deve ter vontade de amamentar e se sentir à vontade pra isso.
    Ellis mamou até os 11 meses. Com 10 ela (finalmente) aceitou a mamadeira, então ela mamava no peito só à noite. Com 11 tirei as mamadas da noite também. Ela não sentiu falta nem nada, ela aceitou a mamadeira quando quis.
    Foi bom pra ela, no tempo dela. Pra mim também. Quem me acompanha o blog e no tuí sabe que o meu tempo de desmamar já tinha chegado. 
    Lindo texto Dina!Beijo

    ResponderExcluir
  8. Eu fiquei mais 'revoltada' porque procurei 2 bancos de leite que se recusaram a me ajudar. Claro que o importante é alimentar e dar amor, mas só quem passa entende né?

    Bjsssssssss

    ResponderExcluir
  9. Também desmamei meu filho com 5 meses, quando TIVE que voltar a trabalhar. Foi muito bom ler esse artigo porque foi EXATAMENTE como eu me senti. Também sinto muita falta de amamentar, ele talvez não sinta, aliás, ele não fica no colo quando está com a mamadeira. Gosta de mamar sozinho, deitadinho. Parece que está me punindo por não "querer" amamentá-lo mais. Hoje ele tem 1 ano e 3 meses e eu AINDA sinto falta do nosso momento. Uma pena, já que não vou ter mais filhos. Bom, eu não tive escolha e fico feliz em também ter doado meu leite por 3 meses para o banco de leite da minha cidade, era trabalhoso e mesmo assim eu o fiz, ajudei muitos pequenininhos que precisavam de leite materno! 5 dias depois que meu filho nasceu ele teve que voltar para a UTI, e me deparei com as enfermeiras tentando "convencer" uma mãe a amamentar seu bebê prematuro na UTI, ela com os seios fartos e doloridos, dizia que não iria conseguir amamentar, q a filha era muito pequena... e eu andando o hospital inteiro a cada 2h para amamentá-lo, consegui abrir alguns pontos, e mesmo assim não pensei em nenhum momento em NÃO amamentar... vai entender...

    ResponderExcluir
  10. Amiga tbem me senti assim quando Arthur desmamou aos 4 meses, chorava quando ele não queria o peito. Ele acabou pegando a mamadeira e isso me consumia. Não era pelas vitaminas nem nada, era proque perdi aquele momento que amava sabe? Tem dias que penso que eu nem devia ter me sentido assim, queria ter amamentado até 6 meses pelo menos mas não consegui e me sentia impotente. Hoje isso nem dói e nem faz diferença mas no momento doeu muito.

    ResponderExcluir
  11. Que belo relato!!! As lágrimas não param de descer do meu rosto...
    Eu amamentei Luna até 1 ano e 8 meses e desmamei porque ela não estava adaptando bem na escola, a professora dizia que ela pedia "mamá" o tempo todo enquanto chorava e eu lá no período de adaptação, firme, mas a professora trazia Luna, que mamava como uma faminta e todas as outras mães dizendo: "nossa ela mama?? Vai ser difícil adaptar!" Ouvi o opinião dos outros e decidi parar de amamentar, sofri, me arrependo!
    Não sei se isso te consola, mas a decepção acontece em qualquer fase!!
    Amamentar é bom demais!!!

    Beijão.

    E preciso dizer mais uma vez: que belo relato!!!

    ResponderExcluir
  12. eu sempre falo tbm q o La é igual à uma feijoada...é pesado, derruba, fa a genet quere dormir

    ResponderExcluir
  13. É bem dessa rs
    Foi sempre a comparação que vinha a minha cabeça rs

    ResponderExcluir

obrigada pelo comentário!