quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Dica: como escolher a fralda do bebê

Recebemos esta indicação de um infográfico sobre como escolher a fralda do bebê baseado no tipo de fralda, segurança, é bem legal.

Preocupada em oferecer aos papais e mamães opções inovadoras e sustentáveis nos mercados de higiene e medicina, a Dow, que desenvolve matérias-primas para fraldas, entre outros itens, acaba de lançar um infográfico interativo que demonstra e explica as funções dos principais componentes que uma boa fralda deve ter. 

De maneira clara e objetiva, é possível conhecer muitos dos atributos funcionais importantes que um ítem de higiene absorvente contém, tais como: boa retenção de líquidos e capacidade de absorção, propriedades de barreira, ser de fácil aplicação, acomodar-se de maneira confortável e acompanhar o dia-a-dia das crianças.



O infográfico é bem simples: http://www.dow.com/brasil/solucoes/fraldas.htm

Sugestão de pauta enviada por In Press Porter

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Canais do You Tube: DisneyCollector

Devo começar falando que eu não sou fã desse canal, mas Eduardo adora ver brinquedos serem desembalados no Canal DisneyCollector. Antes de falar do canal, tenho que familiarizar vocês a um termo bem popular lá fora, o Unboxing. São vídeos e vídeos onde pessoas abrem e desembalam produtos, dando detalhes de como funcionam. Tem vídeo de unboxing de qualquer coisa que você possa imaginar na vida, até de Kinder Ovo (pense...). Particularmente acho essas coisas meio bizarras, maaaaaas...

E foi aproveitando curiosidade que é inerente a todos, que Melissa Lima, uma Brasileira de 21 anos que vive em Nova York, começou a postar vídeos de brinquedos sendo desembalados, geralmente Play Doh (Super Massa) ou brinquedos com pecinhas pequenas. Recentemente descobri que o Disney Collector é um dos canais mais assistidos no Estados Unidos e também um dos mais rentáveis atualmente. Um dos vídeos mais assistidos já bateu a casa de 94 milhões de views. No total, mais de 3 bilhões de visualizações foram contabilizadas no canal desde a sua estreia.

Melissa não aparece nos vídeos, apenas suas mãos e sua voz extremamente irritante suave em um Inglês bem falado, e mostra as últimas novidades enviadas pelas empresas de brinquedos, que pagam um bom dinheiro a ela para falar sobre seus produtos. Ao escrever esse post, descobri que existe um canal também em Português, também comandado pela Melissa e que está se tornando bem popular por aqui também.





Ok, você vai dizer que isso incentiva o consumismo, que isso, que aquilo. Aqui em casa não. Dudu gosta de ver pela novidade, ele nunca pede nada, gosta de ver brinquedos diferentes, como eles funcionam, só isso. Tudo com moderação é possível administrar.

Mais uma vez, não sou fã, mas faz sucesso. Vai lá, mas não diga que não avisei se seu filho viciar. 


terça-feira, 28 de outubro de 2014

Falando sobre a morte com as crianças

Lá em casa tento não fantasiar além da conta com Dudu, acredito que esse tipo de proteção excessiva só traz decepções futuras, então faço o possível para ser o mais realista dentro da normalidade, sem ser cruel. Confesso que mesma sou uma pessoa super mal resolvida com o assunto morte e falar disso com uma criança torna as coisas ainda mais difíceis pra mim.


Mas Eduardo é muito curioso e sempre tem uma perguntinha na ponta da língua. Primeiro começou com a história do peixinho que morreu lá na casa do pai, que ele não se abalou muito. Perguntei o que aconteceu e ele disse que o peixe não acordou e que o pai jogou na privada (que fim horrível pra esse peixe #RIPPeixe). 

Depois um dia, falando sobre os bisavós que ele não conheceu, ele me perguntou onde eles estavam. Falei que tinham virado estrelinha e pensei que tinha sido suficiente, mas ele começou a perguntar porque as pessoas viram estrelinhas. Eu disse que quando a pessoa fica muito velhinha, ela vai pro céu e vira uma estrela e mais uma vez veio uma chuva de perguntas: 


- Todo mundo vira estrela? 

- Você vai virar estrela? 

- EU vou virar estrela? 

- As estrelas viram pessoas de novo? 


Ai ai ai

Recentemente, brincando com o meu pai, ele estava muito perto da sacada e meu pai disse pra não ficar se debruçando lá, que ele poderia cair e se machucar. "Mas se eu cair e MORRER, eu vou nascer de novo nessa família?". Complicado né? 

Andei lendo por aí como lidar com a questão da morte com crianças tão pequenas e em todos lugares que li, diziam o seguinte: 

  • Obedecer a idade da criança e seu raciocínio 
  • Levar em consideração a pergunta da criança e não se aprofundar muito na resposta 
  • Porém, dizer coisas como "o fulano dormiu pra sempre" podem assustar a criança a causar problemas com o sono (TOC TOC TOC) 
  • No caso de uma perda próxima, deixe a criança viver o luto da forma dela, mas dê todo o apoio necessário
  • Deixe a criança chorar, mas não force 
  • O ideal é usar a palavra morte ao invés de eufemismos ou metáforas (essa confesso que ainda não consigo) 

A revista Veja dá algumas dicas de como lidar com a questão: 

Fonte: Revista Veja

E vocês, como lidam com um assunto tão delicado como esse?

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Aplicativo Perfect365

Este foi minha irmã que me indicou.
Achei bem legal, mesmo usando pouco.
Assim que você escolhe uma foto ele já detecta os rostos e você pode tratar a foto da forma que achar melhor. 
Se você quiser pode exagerar mesmo!
Tira olheiras (típico de mães...)
Adicionar maquiagem. Fica bem legal!!!
Dá pra colocar corações, faiscas e um monte de coisa fofa (aí esta parte é paga).





Grátis
Android e IOS