sábado, 25 de outubro de 2014

Outubro Rosa: Reconstrução Mamária


Dúvidas sobre reconstrução mamária?
Vejam algumas dúvidas selecionadas e respondidas pelo Dr. Alexandre Mendonça Munhoz – CRM-SP 81.555



1. Quais tipos de cirurgia são feitas para o tratamento do câncer de mama?

Entre as cirurgias mais realizadas, merecem destaque a cirurgia conservadora da mama (quadrantectomia) e a cirurgia radical com retirada de toda a mama (mastectomia). Tais procedimentos propiciam não só um maior índice de cura, como também maior tempo de sobrevida em pacientes submetidas a cirurgias conservadoras ou radicais.
A reconstrução da mama, associada ao tratamento cirúrgico do câncer, tem sido um dos pontos fundamentais no tratamento multidisciplinar do câncer mamário. Acirurgia plástica, como participante no tratamento integral, desempenha papel importante nesse difícil processo, haja vista os inúmeros benefícios físicos e psicológicos trazidos pela reconstrução mamária.

2. O que é a cirurgia de reconstrução mamária?

A reconstrução mamária engloba um conjunto de técnicas ou procedimentos cirúrgicos empregados no processo de reparação parcial ou total da glândula mamária, decorrente de afecções congênitas ou adquiridas, como no caso do câncer. A reconstrução mamária é desenvolvida para reparar a mama após sua retirada (de forma parcial ou total), em decorrência do câncer de mama.

3. Existem diferentes tipos de reconstrução? O que determina qual procedimento será feito?

Entre as técnicas disponíveis, destaca-se a possibilidade de utilização de tecidos provenientes da própria paciente, chamado de autógenos, e materiais aloplásticos – expansores de tecidos e implantes mamários de silicone.

Autógenos – O emprego de tecidos autógenos é advogado por estudos clínicos, oferecendo vantagens. Dentre elas, podemos citar a qualidade da reconstrução, apresentando consistência e textura mais próximas da mama e resultados mais satisfatórios no longo prazo.

Aloplásticos -- Tem como vantagem ser um procedimento mais simples tecnicamente, com menor tempo de recuperação pós-operatória, além da ausência de área doadora e cicatrizes adicionais. Em pacientes em que não há volume de tecidos (pele e gordura), a utilização de tecidos aloplásticos (expansores e implantes) torna-se uma boa opção de reconstrução.

4. A reconstrução pode ser feita logo após a mastectomia? Existe algum tipo de contraindicação?

Em geral, sim. Salvo em situações nas quais a paciente não tem condições clínicas – como em casos de hipertensão arterial, diabetes, etc. Pacientes fumantes e obesas também não são boas candidatas à reconstrução imediata. Nestas pacientes, o ideal é a melhora das condições clínicas associadas e o adequado tratamento. A reconstrução poderá ser realizada em uma segunda cirurgia.

5. Qual é a importância da reconstrução para a mulher?

A reconstrução é importante em várias esferas e engloba aspectos relacionados à autoimagem, qualidade de vida, saúde mental e satisfação corporal. Um estudo publicado pela Universidade de Michigan avaliou o impacto do resultado estético pós-cirurgia conservadora da mama na função psicossocial e na qualidade de vida de pacientes com câncer de mama precoce.

Em uma análise retrospectiva de quatro anos, envolvendo mais de 700 pacientes, foram avaliados alguns aspectos relacionados à qualidade de vida global, estigma do câncer, depressão, medo de recorrência e alteração na percepção da saúde. Nesse estudo, os autores observaram que pacientes com grave assimetria pós-operatória apresentaram piores índices de qualidade de vida e maior incidência de depressão do que as pacientes com mamas simétricas ou com assimetria leve.

Os autores propõem que, na identificação precoce de assimetrias pós-operatórias, há a necessidade de acompanhamento psicológico e suporte com o intuito de prevenção na redução da qualidade de vida. Dessa forma, a reconstrução parcial ou total torna-se importante e fundamental no tratamento global do câncer de mama e, sobretudo, no difícil processo de reabilitação psicossocial. Entende-se por qualidade de vida a percepção do indivíduo tanto de sua posição na vida, como em relação aos seus objetivos, expectativas, padrões e preocupações.

6. Qual o resultado da reconstrução? A textura e aparência ficam como antes do câncer?

Sabe-se que, desde que bem indicadas e realizadas de maneira correta do ponto de vista técnico, os resultados são bem satisfatórios e com resultado estético muito próximo à mama contralateral. Fatores limitantes para a eficácia da cirurgia reconstrutora estão diretamente relacionados à extensão da cirurgia oncológica, como tumores maiores e com maior disseminação local, e à presença da radioterapia.

Nessas situações, cada caso deve ser avaliado de maneira individual com o objetivo de se adequar à melhor técnica e ao momento da reconstrução, com o intuito de garantir bons resultados estéticos. Ademais, um bom resultado na reconstrução está diretamente relacionado com a boa técnica realizada pelo cirurgião oncológico na retirada da mama. Assim, a adequada integração entre as equipes, quer seja de mastologia ou de cirurgia plástica, torna-se fundamental para chegar a um bom resultado estético.

7. Quais são os cuidados pós-operatórios?

Os cuidados pós-reconstrução são os inerentes a qualquer cirurgia. De maneira geral, a reconstrução não interfere de maneira mais intensa na reabilitação. É fato que procedimentos mais extensos, tais como reconstruções bilaterais ou reconstruções em tumores mais avançados, implicam necessariamente em um tempo de recuperação mais longo e com terapias de reabilitação associadas.

Apesar disso, normalmente, entre três e seis semanas a paciente está apta para a realização de suas atividades físicas e sociais habituais. Depois, a vida é totalmente normal, inclusive para rotina de atividades físicas feitas anteriormente à cirurgia. Em procedimentos menores, como reconstruções parciais da glândula mamária, o tempo de recuperação é significativamente mais curto e, em algumas situações, menor quando comparado a cirurgias estéticas da mama, como mamoplastias redutoras ou colocação de implante de silicone.


Sugestão de pauta enviada por Ketchum Digital

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Ideias Simples para o Halloween

Sei que aqui não temos tanta tradição em comemorar o Halloween, mas as escolas estão sutilmente #sóquenão trazendo essa comemoração para a vida dos nossos filhos. Aqui no prédio as crianças maiores se fantasiam e saem pelos andares para pedir doces. Eu não me importo, acho até divertido, mas confesso que ano passado esqueci e fugi da criançada #Abafa.

Separei aqui algumas ideias para você fazer em casa para também comemorar o Halloween com a criançada, afinal é por eles que fazemos essas coisas né?








E aí? Gostaram das ideias?

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

O Sem Firulas voltou!



A maioria aqui deve saber que antes de ser do Loucura Materna, eu tinha um blog de maquiagem, né? Então, há três anos eu parei de escrever mas senti uma falta danada de voltar a falar sobre o assunto.

Então, agora com uma grande amiga, reativamos o Sem Firulas, que agora está de volta cheio de conteúdo legal sobre beleza, maquiagem, moda, decoração e muita coisa!

Passem lá pra fazer uma visitinha e conhecer o blog, vou ficar muito feliz!

www.semfirulas.net



quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Canais do YouTube: Super Simple Songs

Agora todas as quartas-feiras, vamos dar dicas de Canais do YouTube que as nossas crianças mais gostam. Fugindo do óbvio da Galinha Preta Pintadinha e seus vídeos hipnóticos, o canal que vai e volta no TOP 3 lá de casa é o Super Simple Songs.



O Super Simple Songs é um canal de músicas infantis 100% em inglês muuuuito fofo. Ele é colorido, as músicas são gostosinhas e fáceis de cantar. “Ah, mas é em inglês!”. E daí? Dudu não fala inglês, mas adora o canal! As músicas são versões de muitas canções que conhecemos em Português e ele sempre reconhece. De vez em quando, Dudu ainda arrisca cantar as músicas com o inglês embromation dele, é muito fofo!

Lembro que o primeiro vídeo que assisti do canal foi o Twinkle Twinkle Little Star, Dudu ainda era um bebezico e ficava encantado com a suavidade da música! O vídeo The Alphabet Chant também ensinou o Dudu pequeno de tudo a cantar a música toda, era uma belezinha de se ver.






Os vídeos são atualizados regularmente, tem uma infinidade de músicas que encantam as crianças de diversas faixas etárias. E agora o canal está com uma série de vídeos para o Halloween que é bem legal, muito divertida mesmo.



Recomendo fazer uma visita e se inscrever no Super Simple Songs. É diversão garantida, vai por mim.